Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Edwards e Crutchlow somam pontos na atribulada corrida de Motegi

Colin Edwards e Cal Crutchlow somaram importantes pontos para o Campeonato do Mundo após o muito atribulado Grande Prémio do Japão deste domingo no Twin Ring Motegi.

Edwards fez um bem-vindo regresso ao Top 10 após árdua luta pela oitava posição; o experiente americano foi um dos poucos pilotos a não se ver envolvido em algum tipo de incidente durante as dramáticas 24 voltas de corrida.

Crutchlow teve uma tarde atribulada enquanto salvou um merecido 11º lugar depois de duas saídas de pista enquanto tentava entrar nos dez primeiros. Ele também foi alvo de uma penalização de passagem pela via de boxes por falsa partida mas, determinado a obter o melhor resultado possível, fez brilhante recuperação para terminar nos pontos pela quarta vez consecutiva.

Vindo do 14º posto da grelha, Edwards manteve a compostura na caótica acção que se desenrolou à sua frente para passar para sétimo à 18ª e afastar-se de Hiroshi Aoyama. Edwards caiu depois para oitavo devido à grande recuperação de Ben Spies, da Yamaha Factory Racing em consequência do incidente da primeira volta entre Jorge Lorenzo e Valentino Rossi. No final o piloto de 37 anos voltou a ser o melhor não oficial, passando agora a somar 98 pontos quando faltam disputar três corridas.

Crutchlow rodava em nono quando saiu de pista na Curva 3, na 4ª volta, após contacto com Toni Elías. Ele caiu para 15º e depois perdeu mais 17 segundos na penalização. Ele regressou à pista em último, mas nunca desistiu e logrou somar cinco importantes pontos para o Campeonato do Mundo, fortalecendo a posição na corrida à coroa de Melhor Estreante do Ano.

Colin Edwards:
“Que corrida! Estou com dificuldades de me lembrar de tudo o que aconteceu porque parecia que a cada curva encontrava alguém diferente na gravilha! A confusão foi tanta que se tratava apenas de chegar ao final. Soube desde logo que o Cal tinha feito falsa partida e depois o Valentino e o Ben saíram. O Casey também teve uma saída de pista, pelo que me concentrei e assim que o traseiro duro atingiu a temperatura e começou a funcionar bem passei a apresentar bons tempos, mais ou menos a meio da corrida. Demorei muito a apanhar o Aoyama e foi duro ficar atrás dele tanto tempo sem poder ultrapassar. O estilo dele é basicamente parar a meio da curva e disparar à saída usando a potência da Honda, pelo que ele ganhava uma vantagem de alguns metros com a aceleração. Honestamente, o meu ritmo não esteve lá durante todo o fim-de-semana, pelo que o oitavo posto é um resultado final e agora podemos seguir em frente e tentar ser mais rápidos em Phillip Island, que é uma grande pista.”

Cal Crutchlow:
“Por onde é que começo depois de uma corrida como esta? Sabia que tinha feito falsa partida porque tinha o Simoncelli mesmo à minha frente e larguei a embraiagem quando o vi mover-se. Depois disso só queria dar o máximo e recuperar o maior número de posições antes de ter de ir ao pit lane para a penalização. Estava a puxar para passar o Elías, mas ele travou muito forte na Curva 3 e quase acabei em cima da traseira dele. Isso atirou-me para a gravilha, pelo que se tirar o tempo perdido nisso e na penalização estou certo que podia ter ficado entre os sete primeiros. Depois de todo o drama só queria terminar e somar o maior número de pontos possível para a Yamaha e para a Tech 3 nesta corrida tão importante. Não me sentia no meu melhor em termos físicos este fim-de-semana e não também não conhecia a pista, pelo que somar mais alguns pontos é um resultado positivo e agora estou muito excitado com as últimas três corridas. Conheço Phillip Island, Sepang e Valência, pelo que espero ter um final de temporada forte.”

Comunicado de imprensa Monster Yamaha Tech 3 Team

Tags:
MotoGP, 2011, Colin Edwards, Cal Crutchlow, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›