Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Colin Edwards fala das motos CRT

O experiente veterano do MotoGP Colin Edwards fala da sua primeira experiência aos comandos da Suter CRT com bloco BMW da NGM Forward Racing, a sua nova moto para 2012.

Após dois dias de testes privados no circuito de Jerez o experiente texano falou com o motogp.com das suas impressões sobre a CRT, uma das motos da nova geração do MotoGP que se vão juntar à grelha de 2012. Este foi o primeiro contacto de Edwards com a BMW-Suter depois de ter falhado o Teste Oficial pós-Valência enquanto estava a recuperar de operação ao ombro.

O veterano esperava trabalhar ainda antes da próxima época, mas a primeira impressão que teve com a moto foi melhor que o inicialmente esperado. “De forma geral, é melhor do que pensava que seria, o potencial está lá. Penso que neste momento estamos a 65%,” disse.

O pacote electrónico que a equipa vai usar é novo no MotoGP e Edwards disse que os restantes 35% do desenvolvimento da moto surgirão com esse electrónica. “O chassis está afinado, mas o principal é a electrónica e fazer todo o conjunto funcionar. Com a electrónica sempre que fazemos uma pequena alteração tudo melhora e tudo fica um pouco mais suave e fácil.”

Revelando mais impressões da nova moto o texano disse: “A moto lembra-me muito de 2003, quando fui para a Aprilia. Tem um motor ‘screamer’, muito binário, alguém fabricou o chassis, alguém colocou um motor e desenvolveu-se muito ao longo do ano. Foi uma das primeiras motos com ‘ride by wire’ e toda a electrónica. Faz-me lembrar muito disso. Mas sei do que preciso, sei o que procuro, sei o que quero, sei como fazer uma moto ser mais rápida, pelo que o principal agora é não perder a concentração e manter o caminho certo.”

A equipa passou a maior parte dos dois dias com os Bridgestone de 2011, mas tiveram a possibilidade de rodar com um novo pneu, o que criou desafios, mas Edwards está certo que são solucionáveis. “Ficámos com um pouco mais de vibrações... assim que resolvermos a electrónica sei que isso vai desaparecer, estou certo.”

No que toca aos tempos da moto, cujo melhor registo oficioso de quarta-feira foi 1m43,9s e de quinta-feira 1m42,6s (que compara com o melhor tempo de Edwards no GP de Espanha em Jerez, em Março, de 1m40,188s), Edwards não se mostrou preocupado. “Vim para aqui e teria ficado contente apenas com os tempos de ontem, estando lesionado e tudo, mas hoje fiz 1m42,6s, o que é um pouco melhor que um segundo mais rápido. Estou razoavelmente contente com isso.”

O teste foi também a primeira vez que o americano trabalho com o seu novo chefe de equipa para 2012, Kor Veldman. “Nunca tinha trabalhado com ele, mas tem muitos conhecimentos e experiência e demo-nos muito bem. Só de passar dois dias comigo vi que ele sabe de que é que está a falar, e isso é positivo, vocês sabem, quando se encontra alguém com quem se pode comunicar e fazer as coisas. Estou muito contente com ele.”

Dois dias de trabalho com a moto foram o bastante para ficar a saber o que a equipa tem de fazer a seguir. “Não descobrimos a pólvora, mas como disse estamos a 65%, temos de trabalhar para encontrar o que falta,” disse Edwards.

A formação vai ter dois meses para completar esse trabalho antes da próxima vez que a moto for para a pista no Teste Oficial de Sepang, em 2012.

Tags:
MotoGP, 2011

Outras actualizações que o podem interessar ›