Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Hayden sexto no GP do Qatar e Rossi décimo

Hayden sexto no GP do Qatar e Rossi décimo

Na primeira ronda da época do MotoGP™ a Ducati Team logrou um sexto lugar pela mão de Nicky Hayden e um décimo através de Valentino Rossi. O americano não fez grande partida, mas a sua prestação melhor de forma regular com o passar das voltas e levou a melhor na intensa luta com Álvaro Bautista, Stefan Bradl e Hector Barbera para terminar em sexto.

Vindo de 12º da grelha após difícil sessão de qualificação, Valentino Rossi debateu-se com vários problemas, mas trabalhou arduamente ao longo de toda a corrida, acabando mesmo por apresentar tempos por volta decentes.

O departamento de competição em Bolonha e os engenheiros da Ducati Team vão continuar a desenvolver a GP12 no esforço de apresentarem progressos para o próximo Grande Prémio que tem lugar em Jerez, Espanha, de 27 a 29 de Abril.

Nicky Hayden (Ducati Team), 6º “Senti que tínhamos potencial para rodar com o Dovizioso e o Crutchlow, mas tendo em conta as minhas lesões e os poucos testes de Inverno, creio que o sexto posto é muito bom. Perdi algumas posições no início por ter ficado preso atrás do Spies e não estava muito bem nas travagens, mas com o decorrer da corrida geri bem os meus pneus e fiquei mais forte. O grupo em que estava lutou forte e fiquei contente por ter levado a melhor sobre o Bradl. Somámos importantes pontos, recolhemos muitos dados e aprendemos muito ao rodarmos no meio dos outros. Estou animado com a época. Penso que se melhorarmos algumas coisas temos potencial para bons resultados. Queria agradecer à equipa, patrocinadores e a todos na Ducati pelo árduo trabalho porque é claro que demos um passo em frente desde o ano passado.”

Valentino Rossi (Ducati Team), 10º
“Infelizmente, perdi muito tempo no início porque quando estava com os pneus novos e boa aderência a traseira puxava muito, o que dificultou as coisas em travagem. Depois o Barberá empurrou-me para fora da pista e perdi cinco, ou seis segundos. De outra forma teria sido capaz de continuar com o grupo. Conforme os pneus se foram desgastando comecei a escorregar, comecei a rodar um pouco melhor e a fazer melhores tempos; cheguei mesmo ao ponto de igualar o meu melhor tempo na última volta. Mas nessa altura já não podia fazer muito.”

Tags:
MotoGP, 2012, COMMERCIALBANK GRAND PRIX OF QATAR

Outras actualizações que o podem interessar ›