Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Iannone vence emoções da Catalunha

Andrea Iannone assinou a primeira vitória da época na emocionante corrida de Moto2™ no Gran Premi Aperol de Catalunya, à frente de Tom Lüthi e Marc Márquez.

Márquez, do Team CatalunyaCaixa Repsol, foi quem partiu melhor enquanto atrás de si se assistia a forte luta pelo segundo posto e a queda de Mike di Meglio (S/Master Speed Up), Julián Simón (Blusens Avintia), Gino Rea (Federal Oil Gresini) e Claudio Corti (Italtrans Racing) logo na primeira curva. Um incidente do qual apenas Corti logrou voltar à pista e onde nenhum piloto se lesionou.

Entretanto, a boa partida de Márquez deu poucos resultados já que não tardou a que Iannone (Speed Master) tira-se vantagem do alargamento de trajectória por parte do espanhol. Ele manteve a liderança no início, com Dominique Aegerter (Technomag-CIP) e Toni Elías (Mapfre Aspar Team) logo atrás, assim como Márquez e Lüthi (Interwetten-Paddock). Elías depressa chegou ao segundo posto com manobra ousada, mas foi batido de imediato por Márquez que iniciou a perseguição a Iannone.

A 18 voltas do final Lüthi era já terceiro e o grupo composto por Iannone, Márquez e pelo próprio suíço não tardou a isolar-se na frente. Na mesma volta Roberto Rolfo (Technomag-CIP) foi penalizado com uma passagem pela via de boxes devido a falsa partida.

A luta na frente começava, ao mesmo tempo, a ser muito renhida, com Márquez a passar Iannone na recta da meta, mas o italiano ficou com o espanhol colado na roda e recuperou a posição duas voltas mais tarde. Lüthi tirou vantagem do despique e efectuou brava manobra sobre Márquez para assumir o segundo posto. Enquanto isso, o líder do Campeonato Pol Espargaró (Pons 40 HP Tuenti) a ter de recuperar o terreno perdido, o que levou a que a luta pelo triunfo passasse a ser feita a quatro a 11 voltas do final.

Uma volta volvida Márquez voltou a passar Lüthi na recta para ir atrás do italiano na frente. O grupo perseguidor era liderado pelo companheiro de equipa de Espargaró, Esteve Rabat, à frente de Aegerter, Elías, Simone Corsi (Came IodaRacing Project) e da dupla da Marc VDS Racing Team, Scott Redding e Mika Kallio.

Na frente, e a nove voltas do final, Márquez passou Iannone na recta da meta, mas o italiano respondeu de imediato para recuperar a posição três curvas mais tarde. Iannone alargou depois a trajectória a sete voltas do final, o que permitiu nova passagem do espanhol. Mas tal seria, de novo, sol de pouca dura já que o italiano retornou à liderança. Na mesma volta, Elías sofreu queda quando rodava em sexto, mas saiu ileso.

A cinco voltas do final Espargaró deu início ao ataque pelo grupo, passando Lüthi para chegar a terceiro. Contudo, a três voltas do final o suíço levou a melhor sobre o piloto da casa na recta da meta numa altura e que os quatro primeiros estavam envolvidos em grande batalha.

A três voltas do final o drama foi grande para o público da casa, com Lüthi a passar Márquez, que em consequência quase perdeu a frente da moto. O espanhol evitou a queda e atravessou-se à frente de Espargaró, o que o obrigou a evitar o acidente de forma violenta. Felizmente o piloto não se lesionou, mas ficou visivelmente aborrecido por ter perdido a posição perante o seu público.

A última volta foi igualmente tensa, com Lüthi, que tinha passado Iannone para assumir a liderança a ser depois batido pelo italiano na Curva 1. A dupla lutou arduamente durante toda a última volta, mas acabou por ser Iannone quem manteve a calma para vencer com o suíço em segundo e Marc Márquez em terceiro. O Top 10 foi completado por Esteve Rabat, Simone Corsi, Italtrans’ Takaaki Nakagami, Dominique Aegerter, GP Team Switzerland’s Randy Krummenacher, Mika Kallio e Scott Redding.

A queda que envolver Espargaró e Márquez foi posteriormente analisada pela Direcção de Corrida, que penalizou Márquez em 60 segundos e o relegou para 23º. Contudo, a sua equipa apelou da penalização junto dos Comissários FIM, que não confirmaram a decisão, o que a anulou. Assim, Márquez fica em segundo no Campeonato a dois pontos de Lüthi. O protocolo dita que pode ser apresentado um apelo junto do CDI da FIM.

Tags:
Moto2, 2012, RAC

Outras actualizações que o podem interessar ›