Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Lorenzo regista magnífica vitória em Mugello

Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, esteve brilhante pelo segundo ano consecutivo em Mugello ao repetir a prestação do ano passado para vencer o Grande Prémio de Itália.

Vindo de segundo da grelha, Lorenzo não demorou a passar o homem da pole, Dani Pedrosa, e a assumir a liderança da corrida. Apesar de inicialmente ter sido difícil isolar-se, o maiorquino deu o máximo para rodar no segundo 47, tornar-se imbatível e dilatar de forma gradual a vantagem na frente da corrida para terminar com 5,223s de margem. A vitória, a quinta da época, deixa-o com 185 pontos, mais 19 que Pedrosa, actual segundo.

Já Ben Spies continuou com azar hoje em Mugello. O texano ressentiu-se de possível intoxicação alimentar numa das corridas mais quentes do ano. Apesar de não estar fisicamente bem e de ter sentido algumas tonturas, ele alinhou para a corrida e somou cinco pontos para o Capeonato. Ele mantém a 10ª posição com um total de 66 pontos numa altura em que se prepara para correr em casa, em Laguna Seca, dentro de duas semanas.

Jorge Lorenzo, 1º, Tempo: 41m37,477s
“Desde o início que me senti muito bem nesta pista, o asfalto é completamente diferente do de Sachsenring, que foi um pesadelo para nós. Desde o primeiro treino aqui que me senti muito forte, muito bem com a moto e com um ritmo rápido e constante. Foi uma pena termos tido aquele problema na última volta da qualificação, mas o importante foi a corrida. Hoje rodei muito forte para conseguir uma vantagem no início da corrida porque pensei que os meus rivais pudessem ter problemas com os pneus frios. Infelizmente, não o consegui fazer de imediato. Só rodando muito forte, primeiro no segundo 48 e depois no 47, é que consegui isolar-me um pouco do Pedrosa e de forma gradual fui melhorando, foi aí que comecei a respirar. Foi uma grande vitória por todo o esforço da equipa e para a Yamaha, que me deu uma moto fantástica.”

Ben Spies, 11º, Tempo: +57,862s
“Estou muito desapontado, não apenas por mim, mas toda a equipa e pela Yamaha, que trabalharam muito este fim-de-semana. Desde antes do warm up desta manhã que não me sentia bem e fui piorando ao longo do dia. A dada altura, estava a lutar muito para conseguir fazer três voltas decentes na corrida e a debater-se com algumas tonturas e a tentar não vomitar no capacete. A Clínica Móvel fez o melhor que pôde para me ajudar antes da corrida, mas manter-me concentrado na moto às velocidades a que andamos foi um grande desafio.”

Comunicado de imprensa Yamaha Factory Racing.

Tags:
MotoGP, 2012, Ben Spies, Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›