Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Meia época de Moto2™ em revista – emoções, acção e controvérsia

Naquela que é apenas a terceira temporada, a classe de Moto2™ continua a impressionar e oferecer aos espectadores algumas das corridas mais disputadas nos Grandes Prémios. Com a classe intermédia na paragem de Verão, o motogp.com leva-o numa viagem pela primeira metade da temporada.

Foi sob as luzes artificiais do Qatar que a temporada teve início em grande, com os favoritos da pré-época a degladiarem-se desde o início. Marc Márquez, do Team CatalunyaCaixa Repsol, recuperou do problema de visão a tempo de lutar arduamente pela primeira vitória do ano, onde levou a melhor sobre Andrea Iannone, aos comandos da máquina da Speed Master, até um final amargo. Contudo, o triunfo de Márquez não foi livre de controvérsia com a manobra dura na recta da meta a obrigar Tom Lüthi, da Interwetten-Paddock, a alargar a trajectória, o que lhe custou o pódio. O espanhol não foi repreendido pela acção, mas foi-lhe dito oficiosamente para não a repetir no futuro.

A grelha de Moto2™ não teve tempo para descansar quando as rondas europeias começarem em Jerez, com a luta na frente, que durou toda a corrida, apenas a ficar decidida quando o céu abriu no final da prova. Pol Espargaró, da Pons 40 HP Tuenti, roubou a liderança a Márquez a uma volta da corrida ser interrompida e garantiu a primeira vitória do ano. Lüthi ficou no mais baixo do pódio, recuperando alguns dos pontos perdidos no Qatar e mantendo quente a luta pelo campeonato.

O pelotão rumou ao Estoril e foi mais do mesmo, com Márquez a vencer à frente de Espargaró e Lüthi. Contudo, foi o estreante gaulês Johann Zarco, da JiR Moto2, quem roubou o espectáculo ao garantir o melhor resultado de Moto2 ao terminar em quarto na sua terceira corrida. Ele já tinha encabeçado algumas das sessões de treinos molhadas em Jerez no semana anterior e revelou-se como um nome a ser tido em linha de conta esta época.

Le Mans foi a primeira prova a baralhar as contas do campeonato de Moto2, com a chuva torrencial a complicar a vida aos pilotos da frente ou a levar a quedas. Contudo, Lüthi esteve irrepreensível e venceu à frente de Clauido Corti, da Italtrans Racing Team, e de Scott Redding, da Marc VDS Racing Team. Para Corti foi o primeiro pódio em Grandes Prémios, enquanto Redding colocou ponto final numa sequência de 22 corridas fora dos três primeiros. A prova foi marcada por muitas quedas, incluindo as de Márquez e Zarco, mas será recordada por Julián Simón, da Blusens Avintia, a empurrar a sua moto para cruzar a linha de meta.

A Catalunha foi palco da primeira grande controvérsia da temporada de Moto2. Numa louca batalha na frente, Márquez perdeu momentaneamente o controlo da moto e colidiu com Espargaró quando voltou à trajectória. Espargaró acabou por cair e lesionar-se no tornozelo enquanto Márquez terminou em terceiro e somou importantes pontos. Após uma penalização inicial pela Direcção de Corrida, os Comissários FIM anularam a decisão após apelo apresentado pela equipa de Márquez. O assunto passou depois para o CDI da FIM para um apelo final por parte da Pons Team, que manteve a decisão dos Comissários. A corrida foi ganhar por Iannone, que apresentou prestação impressionante para levar a melhor sobre Lüthi.

Espargaró, que se apresentou com muito desportivismo após o incidente, não demorou a deixar claras as suas intenções quando a Moto2 rumou a Silverstone. O espanhol dominou quase todo o fim-de-semana e recuperou alguns pontos ao rival com fantástica vitória. O piloto da casa Redding fez uso do apoio local para levar a melhor sobre Márquez na luta na última volta, com o espanhol a completar o pódio. Espargaró deu sinais que repetiria o feito em Assen, mas sofreu queda quando puxava demasiado forte na primeira volta. Isto deixou Máquez, Iannone e Redding no pódio, enquanto Alex de Angelis, da NGM Mobile Forward Racing, destacou-se ao terminar em quinto depois de trocar do chassis Suter para o FTR.

Uma semana mais tarde foi a vez da visita a Sachsenring, com Márquez a somar a quarta vitória do ano depois de Iannone ter sofrido queda enquanto liderava. Mika Kallio e de Angelis, da Mark VDS, apresentaram excelentes prestações para garantirem os primeiros pódios da época de 2012. Contudo, a prestação da corrida ficou a cargo de Espargaró que, depois de se ter qualificado em 17º, subiu na classificação para terminar em quarto.

A última corrida antes da paragem de Verão em Mugello viu o italiano Iannone satisfazer o público da casa com a vitória depois de perseguir e ultrapassar Espargaró. Lüthi voltou a estar na luta, mas um erro tardio fez com que tivesse de se defender dos intentos de Braldey Smith, da Tech 3 Racing. Márquez não pareceu estar confortável com a moto durante todo o fim-de-semana e terminou em quinto. No treino de sábado o drama esteve próximo, com Zarco a colar Espargaró fora na Curva 1. O espanhol teve sorte e não sofreu lesões sérias, mas o gaulês foi penalizado em 15 posições na grelha, o que o afastou daquela que teria sido a sua primeira presença na primeira linha da grelha este ano depois de ter assinado o terceiro tempo na tarde de sábado.

Márquez vai para a paragem de Verão na liderança do Campeonato com 163 pontos, bem longe de Iannone e Espargaró, ambos com 129. Ainda assim, o espanhol não poderá descansar à sombra dos feitos já que sabe o quão disputada e imprevisível é a categoria e quais as surpresas que pode ter pela frente na segunda metade do ano. Veja todos os resumos das corridas até ao momento no motogp.com!

Tags:
Moto2, 2012

Outras actualizações que o podem interessar ›