Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Iannone: "Ducati? Felicidade e Responsabilidade"

Andrea Iannone falou com o motogp.com pela primeira vez desde que foi divulgado que no próximo ano vai partilhar a box com Ben Spies na Pramac Racing Team, na categoria rainha.

Há algum tempo que os rumores pairavam: o seu primeiro contacto com uma Ducati, a da Pramac, em 2011, o teste deste ano com a Ducati de Fábrica – a relação entre Andrea Iannone e a Ducati tem crescido em 2012, até que o anúncio de ontem confirmou que o piloto de Abruzzi vai ser o segundo italiano, depois de Andrea Dovizioso, a defender as cores da Ducati no próximo ano, se bem que na Pramac Racing Team.

 

"O MotoGP é uma coisa grande, mas para mim é um ponto de partida,” disse o número 29. “A Ducati representa muita felicidade, mas também muito responsabilidade: um italiano numa moto italiana cria expectativas. Vou manter os pés assentes na terra; sei que vou ter de aprender muito no primeiro ano. Muitos pensam que não é uma moto competitiva, mas a minha escolha é um investimento no futuro e espero ser recompensado."

 

Um italiano numa moto italiana... As comparações com os que o precederam, sem sucesso, não tardam a surgir. Contudo, Iannone está convicto na sua escolha: “Deparei-me com muitos desafios antes de chegar à Ducati. Penso que podemos que dizer que para mim talvez seja um pouco mais fácil porque será um de muitos: já ganhei e perdi no passado, mas acredito que os podia ter vencido todos!"

 

E Valentino Rossi, um dos que o precedeu, aconselhou-o a arriscar. “O Valentino também concordou com a minha escolha,” disse Iannone. “Também por não ter muitas opções; ou ficava contente com uma moto satélite, ou escolhia este desafio onde posso trabalhar directamente com a fábrica."

 

Será uma moto satélite, mas só por fora, com a Ducati a ter já anunciado total apoio ao novo alinhamento. “É uma honra contar com apoio técnico idêntico ao do Hayden e do Dovizioso. Quero demonstrar a minha capacidade de melhorar e rodar rápido o mais depressa possível, assim que compreender como funciona.”

 

Finalmente, falando do primeiro teste e primeiras impressões com a sua máquina de 2013... “O primeiro teste? Foi um pouco ‘como fazer amor pela primeira vez’. Não o esperava, mas foi uma grande sensação. Em Mugello fomos suficientemente fortes, tive de lidar com muita electrónica, mas até ao momento parece tudo bem."

Tags:
MotoGP, 2012, Andrea Iannone, Pramac Racing Team

Outras actualizações que o podem interessar ›