Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pedrosa no topo no primeiro dia com condições mista na Malásia

Pedrosa no topo no primeiro dia com condições mista na Malásia

Dani Pedrosa, da Repsol Honda Team, assinou a melhor marca das tabelas de tempos de hoje no Grande Prémio de Motociclismo da Malásia, em Sepang, ao conseguir o melhor tempo na sessão matinal, enquanto durante a chuva da tarde o trabalho foi liderado por Iván Silva.

 

Enquanto a sessão de manhã se disputou no seco e todos os pilotos tiraram partido da pista, a tarde foi marca por início com chuva, seguindo-se depois o sol a seca um pouco o asfalto. Contudo, tal não foi o suficiente para replicar as condições da manhã, com muitos dos pilotos de todo a optarem por não assinar tempos rápidos. E apesar de Iván Silva (Avintia Blusens) ter assinado q melhor volta vespertina no segundo 10 alto, foi Pedrosa que registou a melhor marca do dia durante a manhã com um tempo na ordem dos 2m01,5s, o que se revelou o melhor indicador do ritmo para o fim-de-semana.
 
O companheiro de equipa do espanhol, Casey Stoner, mostrou-se em muito melhor forma física no primeiro dia, terminando pouco atrás em segundo. Ele, como Pedrosa, não registou nenhum tempo rápido durante a tarde, pois não queria arriscar mais lesões. Jorge Lorenzo (Yamaha Factory Racing) terminou em terceiro, a mais três décimos do topo, e espera ter mais tempo no seco e melhorar o seu ritmo para igualar as Repsol Honda ao longo do fim-de-semana. A mais três décimos de segundo ficou Andrea Dovizioso com a sua Monster Yamaha Tech 3. O italiano parece estar prestes a levar a cabo mais uma fantástica batalha com o companheiro de equipa Cal Crutchlow, que terminou o dia pouco atrás, em quinto.
 
No sexto posto ficou Ben Spies, (Yamaha). O americano ainda está em busca de melhorias no ritmo para conseguir superar a dupla da Monster Yamaha. Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP) apresentou sólido início de trabalho ao concluir em sétimo, a menos de um segundo do topo, mas também não rodou na segunda sessão de livres por ser pouco aquilo que havia a ganhar com as condições mistas. Nicky Hayden (Ducati Team) terminou o dia em oitavo e não deu mostras de ter preparado a moto para o molhado de FP2.
 
Álvaro Bautista (San Carlo Honda Gresini) deve ter ficado desapontado com o nono posto da primeira sessão, o seu resultado no final do dia, mas rodou consistentemente rápido quando a pista estava mais molhada, liderando a tabela de tempos vespertina durante algum tempo. Héctor Barberá (Pramac Racing Team) terminou o dia em décimo, enquanto Valentino Rossi foi 11º. O italiano da Ducati Team foi um dos pilotos que optou por destruir um conjunto de pneus de chuva durante a tarde quando a pista já estava a seca para grande deleite dos fãs locais.
 
O melhor piloto CRT foi Randy de Puniet (Power Electronics Aspar) ao terminar em 13º, um tempo estabelecido de manhã. Mas o piloto também rodou no final de FP2 com o piso quase seco. Os protagonistas da tarde foram os homens das CRT, desejoso por maximizar o tempo de pista sempre que possível para tentarem aproximar-se dos protótipos. Silva tirou partido dos últimos segundos de pista mais seca para terminar à frente dos pilotos da San Carlo, Michele Pirro e De Puniet. As tardes de chuva não são invulgares em Sepang, mas a maioria dos pilotos e equipas esperam uma sessão totalmente molhada caso volte a chover. Contudo, no final da sessão Smith viu serem-lhe diagnosticadas fracturas em dois dedos do pé.

Tags:
MotoGP, 2012, MALAYSIAN MOTORCYCLE GRAND PRIX, FP2

Outras actualizações que o podem interessar ›