Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Sublime vitória de Márquez desde último da grelha em Valência

Marc Márquez, do Team CatalunyaCaixa Repsol, fez corrida fenomenal no Grande Prémio Generali da Comunidade Valenciana para escalar pelo pelotão para vencer depois de partir de último da grelha, batendo Julián Simón e Nico Terol.

Numa corrida que começou com pista molhada, Terol, da Mapfre Aspar Team Moto2, fez partida sensacional para assumir a liderança na Curva 4, que ao início do dia tinha sido re-baptizada com o seu nome. Ele tinha Pol Espargaró (Tuenti Movil HP 40), Simone Corsi (Came IodaRacing Projects) e Tom Lüthi (Interwetten-Paddock) logo atrás. Márquez, que partiu de último, era já 11º ao cabo de apenas uma volta. Julián Simón (Blusens Avintia) também tinha subido ao longo do pelotão e estava na roda de Espargaró.

Enquanto Márquez se mostrava forte, Gino Rea (Federal Oil Gresini Moto2) passava o espanhol, com a dupla a ser travada pelo companheiro de equipa de Terol, Jordi Torres. A 21 voltas do final Torres foi passado, enquanto Rea também passava Dominique Aegerter (Technomag-CIP), com Márquez a sentir dificuldades para ultrapassar o suíço. A luta foi feroz com o grupo a apanhar Lüthi, que depressa se envolveu na luta pela sexta posição.

Contudo, poucas voltas depois foi o drama com Espargaró a cair após contacto com Corsi. Ele conseguiu voltar à corrida em 18º. Enquanto isso, Simón tinha passado Terol para assumir a liderança, com a queda de Espargaró a deixar Xavier Siméon (Tech 3 Racing) em terceiro. Johann Zarco (JiR Moto2) deu ar da sua graça na nona volta. O gaulês encontrou o ritmo e começou a travar o progresso de Márquez. Contudo, a corrida de Siméon terminou mais cedo com queda, enquanto Zarco teve a mesma sorte pouco depois conforme as condições começaram a piorar.

Márquez e Rea continuaram a sua animada luta, chegando mesmo a tocar-se, o que fez Márquez alargar a trajectória. Ainda assim, Márquez não se retraiu e passou Rea e depois Aegerter em manobra dura na recta, o que levou o espanhol a levantar a mão em pedido de desculpas. Rea foi pouco depois tocado pelo azar ao cair quando perseguia Márquez, que na altura era terceiro. Entretanto, Rafid Topan Sucipto (QMMF Racing) também ia ao chão, mas voltava à corrida, enquanto a sua companheira de equipa Elena Rosell era colocada de fora da corrida por Eric Granado (JiR Moto2).

A oito voltas do final Márquez estava numa verdadeira missão ao passar Terol e ir atrás de Simón, na frente. O seu ritmo era significativamente mais forte que o de Simón e ao cabo de três voltas estava na roda do líder. À entrada para a penúltima volta o Campeão do Mundo passou para primeiro. Ele não mais perdeu a posição até final para conquistar a sua última vitória na Moto2™ antes de passar para o MotoGP™. Foi a primeira vez na história que um piloto venceu uma corrida vindo de 33º da grelha. Simón e Terol ocuparam as restantes posições do pódio, com este a ser o primeiro de Terol na categoria intermédia.

Eles fora seguidos por Lüthi, Aegerter, Torres, Mika Kallio (Marc VDS Racing Team), Espargaró, Toni Elías (Italtrans Racing Team) Esteve Rabat (Pons). Andrea Iannone (Speed Master) conseguiu garantir a terceira posição no Campeonato à frente de Lüthi apesar de ter terminado apenas em 11º.

 

Tags:
Moto2, 2012, RAC

Outras actualizações que o podem interessar ›