Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Dani Pedrosa: "Podemos melhorar sempre"

O piloto da Repsol iniciou 2013 com motivação e apostado em rodar esta época tão forte como na segunda metade de 2012.

 

Dani Pedrosa terminou o primeiro teste oficial do ano em Sepang, na Malásia, como o dominador dos três dias. A Repsol Honda Team nunca cedeu a liderança das tabelas de tempos e teve sempre o melhor registo. Satisfeito com o primeiro teste, Pedrosa está contente por estar de volta ao trabalho com a Honda RC213V em 2013 e também felicita o novo companheiro de equipa Marc Márquez.
 
Três dias de testes e foste o mais rápido em todos eles. Estás contente com a forma como as coisas correram em Sepang?
"Sim, estou. Conseguimos testar de novo a moto e fizemos boas análises, em particular de aspectos gerais. Estes testes são importantes para o resto da época. Tivemos tempo para avaliar o que queríamos porque o tempo esteve bom e conseguimos efectuar muitas voltas. De forma geral foi um teste positivo."
 
Como te sentes fisicamente? Sentiste alguma cor depois de voltares ao trabalho?
"É normal sentir algumas dores porque após um longo período fora da moto isso vai sempre acontecer. Com a natureza específica do tipo de moto que pilotamos é inevitável ficar dorido após a paragem de Inverno – mesmo tendo a possibilidade de rodar com outros tipos de máquinas durante esse período. Não tem nada a ver com ter mais, ou menos resistência.”
 
Ao contrário do ano passado, esta época a capacidade dos motores manteve-se a mesma e estás de volta aos comandos da RC213V. Que alterações foram feitas à moto desde Valência?
"A verdade é que não houve alterações de monta porque tivemos muito boas sensações em Valência. Tentámos alterar algumas coisas que não estavam muito bem para nos, mas de forma geral tentámos continuar a dar passos pequenos na direcção certa."
 
A tua principal queixa no ano passado foi a vibração, que era muita. O problema foi resolvido?
"Nestes primeiros testes não nos concentramos muito em coisas como a vibração. Tentámos melhorar a travagem e entrada em curva e os peso extra que foi adicionado à moto. As regras mudaram e temos menos um motor com que trabalhar este ano, pelo que é importante confirmar que temos boa durabilidade de motor. Basicamente foi nisso que trabalhámos nesses três dias."
 
Pelo segundo ano consecutivo verificou-se o aumento do peso das máquinas de MotoGP. Notámos esses três quilos a mais na moto quando rodaste com ela?
"Sim, sente-se bem, em particular em travagem porque é preciso mais para suportar a moto. Tentámos modificar a posição desses três quilos para encontrar o equilíbrio perfeito. É claro que temos de trabalhar ainda mais nisso. Não vou dizer como distribuímos o peso porque é segredo.”
 
Alguns dos teus rivais decidiram efectuar uma simulação de corrida em Sepang. Era demasiado cedo para fazeres uma?
"Bem, não tínhamos planeado uma tirada longa no testes. Foi o primeiro ensaio do ano e ainda não temos bem a certeza de que componentes vamos usar. Com a experiência que tenho não creio que necessite de me focar numa tirada longa nos três primeiros dias de testes.”
 
Há quase dois meses pela frente até ao início da época. O que pode ser melhorado na moto?
"Há sempre coisas que podem ser melhoradas. Coisas que hoje pensamos que é impossível alterar são uma realidade ao fim de poucos anos. Enquanto houver vontade de seguir em frente e desenvolver a moto as ideias não vão parar. Podemos sempre melhorar."
 
No final deste mês voltas a Sepang para mais três dias. Qual é o programa de trabalho?
"Temos de melhorar algumas coisas no motor; basicamente aspectos de electrónica, que são importantes. Também temos de continuar a trabalhar na avaliação da durabilidade para vermos se está tudo no lugar e se é fiável."
 
Partilhaste a garagem com novo companheiro de equipa, o Marc Márquez, em Sepang. Como é que ele olhou para ti e para a máquina de MotoGP?
"Não estive muito tempo em pista com ele – apenas duas ou três curvas – mas o estilo dele impressiona mesmo. Ele sai muito da moto e até agora conseguiu grandes tempos. Quando ele esteve aqui em Novembro também já foi muito rápido."
 
Entrevista Repsol.

Tags:
MotoGP, 2013, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›