Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Ser Valentino Rossi

O muito comentado regresso de Valentino Rossi à Yamaha despertou a atenção de alguns famosos, não apenas em casa, mas em todo o mundo. Muitos querem ser ele ou, pelo menos, ter o mesmo talento em duas rodas. A revista italiana Riders produziu uma reportagem dedicada ao “Doctor”, partilhando as opiniões de alguns nomes bem conhecidos de todo o mundo.

 

O regresso de Rossi à Yamaha, em conjunto com os positivos resultados nos testes já efectuados este ano, voltaram a acender a chama na legião de fãs do número 46. Muito simplesmente, muitos nunca deixaram de acreditar no nove vezes Campeão do Mundo. Algo que está bem patente na edição de Março da Riders.
 
O apoio ao piloto foi muito. Veio desde actores de Hollywood como Daniel Day-Lewis e Brad Pitt, a celebridades italianas e várias instituições, escolas, amigos, patrocinadores e fãs.
 
“Ele é um ídolo para mim,” diz Pitt, que visitou o paddock do MotoGP pela última vez em Mugello em 2008. “Daria tudo para ser ele. Tem velocidade e equilíbrio – arte pura. Vê-lo é como ler um poema.” Day-Lewis descreve o italiano como “um génio”. “O trabalho (de um piloto) requer disciplina e espírito selvagem. Tem o seu lado prático, mas ao mesmo tempo há algo nele intangível.”
 
“Gosto muito daquilo que ele é,” acrescenta Oliviero Toscani, famoso fotógrafo italiano. “Ele é claramente um dos maestros italianos; primeiro com a forma como roda de moto, é claro, mas também pela forma como fala. Tem grande sentido de humor e, mesmo quando está a explicar algo que pode ter corrido mal com a moto, fá-lo com um sorriso. Um grande homem e um verdadeiro fogo. Só posso sonhar com uma volta numa moto com ele...”
 
As palavras que se seguiram vieram de um homem que pode ser encontrado mais perto do paddock. “Desde criança que sou um grande fã dele,” diz Andrea Iannone, que este ano compete no MotoGP ao lado de Ben Spies na Pramac. “Sempre o acompanhei com admiração. É um verdadeiro protagonista. Uma pessoa para ser admirada dentro e fora da pista. Creio que é por isso que eu, como tantos outros, o consideramos um herói da nossa geração.”
 
Até mesmo o Presidente da Câmara de Florença Matteo Renzi falou de Rossi. “Recordo os difíceis dias de Junho de 2010: o acidente dele em Mugello e a hospitalização em Florença,” lembra. “Mas também me recordo da capacidade de regressar à competição tão depressa. Foi uma vitória por si só – e uma conseguida com um sorriso. Um sorriso que todos nós queremos, o de ser capaz de sonhar com um futuro lindo.”
 
A Oakley e a Bridgestone não revelam falta de motivação, mas a mais importante mensagem veio de um homem que conheceu todos os altos e baixos, vitórias e derrotas de Rossi e que sempre esteve a seu lado:
 
“Façam o que quiserem com o Valentino, mas há sempre diversão a seu lado,” explica Davide Brivio, conselheiro de Rossi e antigo Director Desportivo na Yamaha. “Dos milhares de momentos que passámos juntos, o mais recente de que me recordo, é a grande alegria de voltar a assinar com a Yamaha. No Rally de Monza (que Rossi venceu)... Não via aquele sorriso há dois anos. Agora ele voltou a encontrar a sua motivação e desejo de lutar – e está lá com uma possibilidade...”

Tags:
MotoGP, 2013, Valentino Rossi

Outras actualizações que o podem interessar ›