Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Pneus vão sofrer nos EUA

A primeira corrida no MotoGP™ no Circuito das Américas, neste fim-de-semana, vai exigir boa gestão dos pneus por parte de todos, ainda para mais porque a pista texana conta com várias curvas rápidas para a direita.

 

Apesar do circuito ser feito contra o sentido dos ponteiros do relógio, o fornecedor de pneus Bridgestone optou por um pneu traseiro assimétrico com o ombro direito mais duro. Isto deve-se às fortes cargas a que o pneu estará sujeito nas curvas para para a direita, principalmente na sequência de quatro perto do final (oficialmente com o nome de Curvas 16, 17 e 18). Comparativamente, a maioria das curvas para a esquerda são bem mais lentas.
 
Hiroshi Yamada - Director do Departamento de Motorsport da Bridgestone:
 
“Os Estados Unidos são um mercado muito importante para a Bridgestone e esta terceira corrida é muito bem-vinda para aumentarmos a nossa presença na região, em particular num traçado tão espectacular como o Circuito das Américas.”
 
“Estou contente por termos um novo conjunto de fãs americanos que vai poder testemunhar uma grande competição como o MotoGP e espero que marquem presença em grande número para apoiarem os heróis da casa Ben (Spies), Colin (Edwards) e Nicky (Hayden), bem como os dois wildcards americano Blake Young e Michael Barnes.”
 
Shinji Aoki - Director do Departamento de Desenvolvimento de Pneus de Competição da Bridgestone:
 
“O Circuito das Américas, em Austin, dá as boas-vindas ao MotoGP pela primeira vez e tem um desenho impressionante que cria um verdadeiro desafio para o desenvolvimento de pneus. Tal como os outros circuitos americanos no calendário, é disputado contra o sentido dos ponteiros do relógio e a pista é técnica, com uma mistura de curvas lentas, rápidas, apertadas e secções mais abertas. Estas características combinam-se para dar grande importância às sensações do pneu frontal para se manter boa velocidade em curva, que é crucial nesta pista. Por isso, os nossos pneus frontais têm de dar excelentes características de aderência com muita estabilidade, enquanto os traseiros têm de fazer uma boa entrega de potência à saída das curvas.”
 
“Os nossos dados dos testes mostram que as direitas mais rápidas do traçado exigem uma borracha um pouco mais dura no ombro direito dos slicks traseiros para maior estabilidade e durabilidade, pelo que vamos levar slicks traseiros assimétricos para Austin. Os compostos frontais para a corrida serão Macio e Médio, enquanto os traseiros serão Macio e Médio para os pilotos CRT e Médio e Duro para os não CRT.”

Tags:
MotoGP, 2013

Outras actualizações que o podem interessar ›