Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Crutchlow: "Não tenho nada a dizer sobre rumores"

Crutchlow: "Não tenho nada a dizer sobre rumores"

Cal Crutchlow recusou-se a especular sobre o futuro, enquanto o paddock de Le Mans não pára de falar da possibilidade do piloto da Monster Yamaha Tech 3 ser substituído na equipa no próximo ano.

 

Com os rumores a surgirem primeiro na imprensa britânica, o Directo Desportivo Hervé Poncharal deu a entender ao motogp.com esta semana que a possibilidade de Crutchlow deixar a equipa é real uma vez que o britânico é o único piloto com contrato a terminar no final de 2013. A sugestão dá o piloto da Moto2™ Pol Espargaró como o favorito ao lugar.
 
“Não sei,” disse Crutchlow durante a conferência de imprensa de quinta-feira em França. “Não tenho nada a dizer sobre o tema. Não sei de nada de momento, pelo que nos podemos concentrar no trabalho que temos pela frente, que é correr este fim-de-semana e no seguinte, até o Hervé me dizer (algo). Até ao Hervé me dizer que não vou correr com a moto, não vou falar do tema.”
 
Crutchlow também clarificou os comentários que fez sobre a sua actual situação, com Poncharal a ter debatido a possibilidade do seu piloto ter sido algo injusto ao criticar o equipamento que tem disponível:
 
“Disse que o meu conjunto é bom, mas não é o mais recente deste ano. O meu conjunto é do ano passado, pelo que é mesmo bom – já o disse – mas o Hervé também disse que tive uma opção de assinar contrato por dois anos com ele, mas se ele não assinou contrato com o construtor então o que faço? Ele podia colocar-me na Moto2™ no segundo ano... Por isso penso que foi muito bom ter assinado apenas por um ano.”
 
Na quinta-feira Crutchlow falou com o comentador do motogp.com Gavin Emmett durante uma sessão de Perguntas e Respostas na qual sublinhou as metas pessoais para o resto de 2013.
 
“Espero estar no pódio em breve – quanto mais cedo melhor,” disse. “Podemos começar a crescer perto do final da época. No ano passado o pior foi o meio, mas tive forte final de campanha. Penso que, no MotoGP, para um piloto satélite vencer uma corrida. Creio que é necessário um pouco de sorte, mas aceito qualquer coisa. Contudo, acredito nas minhas capacidades e não ha motivos para não acreditar que não podemos lá estar – a dada altura do ano, quando as coisas estiverem a correr bem. Estou apostado nisso e é assim... Mas fazer é muito mais difícil que dizer.”
 
“Penso que estamos a fazer bem o nosso trabalho, que é sermos o melhor piloto satélite. Estamos muito perto dos pilotos de fábrica. Não podemos fazer muito mais que isso, não dá mesmo. Os únicos que nos estão a bater são os de fábrica, mas não sei... Se pegar numa das motos deles vou ser mais rápido? Não sei. Talvez fosse mesmo mais lento, sei lá! É uma situação que nunca podemos controlar.”
 
“Só temos de fazer o nosso trabalho e se conseguir alguns pódios penso que então terá início a corrida. Pelo menos é o que espero.”
 
Depois dos Grandes Prémios do Qatar, Américas e Espanha Crutchlow ocupa o quinto posto na tabela de Pilotos, a oito pontos de Valentino Rossi, da Yamaha Factory Racing.

Tags:
MotoGP, 2013, MONSTER ENERGY GRAND PRIX DE FRANCE, Cal Crutchlow, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›