Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Zarco tira aspectos positivos de forte corrida em casa

Zarco tira aspectos positivos de forte corrida em casa

Johann Zarco começou por se mostrar desagradado por ter falhado o pódio no Grande Prémio caseiro, prova que liderou após a queda de Takaaki Nakagami. Contudo, após reflexão o piloto da Came Iodaracing Project olha agora para Le Mans como o início do seu campeonato.

 

Losail, Austin e Jerez foram jornadas duras para Zarco, cuja prestação de qualificação se tornou ainda pior pela corrida apesar dos domingos terem sido melhores – principalmente no Texas, onde subir ao sexto posto final. Em França, o gaulês de 22 anos qualificou-se em terceiro, garantindo a melhor posição da grelha desde que entrou para a Moto2™ em 2012.
 
No rescaldo da dramática corrida de domingo Zarco mostrou-se desiludido, mas começou a olhar para os aspectos positivos com o passar do tempo.
 
“Agora que a corrida está terminada e que tive tempo para voltar a pensar, estou contente,” disse ao motogp.com na semana que se seguiu à prova. “Foi muito bom poder liderar o Grande Prémio. Foi muito agradável e até sorri para mim próprio dentro do capacete. Apesar da desilusão não altura, terminar a corrida em quinto depois de ser segundo durante tanto tempo, não tenho de ficar assim. O início da época foi muito complicado, pelo que posso estar contente com o quinto posto.”
 
“Tive um pequeno problema quando um piloto me ultrapassou; distraí-me e os outros conseguiram passar. Contudo, penso que o quinto posto aqui é uma boa forma de recomeçar as coisas e quero voltar a lutar pelo pódio em Mugello. Por isso, estou desapontado com o meu início da temporada porque esperávamos estar mais perto do pódio, ou mesmo no pódio. Infelizmente não consegui – algumas vezes por azar, noutras porque não me senti totalmente confortável com a Suter.”
 
Ainda assim, Zarco insiste que agora está mais confortável com o chassis Suter.
 
“Esta moto é como nenhuma outra,” afirma convicto. “A minha equipa também a está a compreender. A referência era o Márquez, que fez grandes coisas com ela (em 2012). Foi a nossa base e por vezes lutei com ela, mas tentei adaptar-me melhor à moto em todas as pistas porque agora está muito melhor. Tento levar-me ao limite em cada sessão e em cada corrida.”
 
A melhor campanha de Zarco até ao momento foi em 2011, nas 125cc, quando terminou no pódio em 11 das 17 corridas para terminar como vice-Campeão atrás de Nico Terol.

Tags:
Moto2, 2013, MONSTER ENERGY GRAND PRIX DE FRANCE, Johann Zarco

Outras actualizações que o podem interessar ›