Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Resultado positivo para Crutchlow e Smith

O terceiro lugar de Cal Crutchlow no Grande Prémio de Itália fez do piloto o primeiro britânico a conquistar pódios consecutivos no MotoGP™ desde Ron Haslam, em 1987. Em nono lugar, o companheiro de equipa e estreante Bradley Smith impressionou ao alinhar na corrida com lesão no pulso e num dedo.

 

Em Le Mans, há duas semanas, Crutchlow tinha assinado o melhor resultado da carreira com um segundo lugar. A terceira posição de Mugello representou o quarto pódio de MotoGP.
 
“No início do fim-de-semana pensei que seria muito, muito difícil terminar no pódio,” começou Crutchlow. “É claro que o obtivemos com a queda do Marc (Márquez), mas eu estava forte no final e senti que podia mesmo lutar pelo pódio. É muito bom estar aqui em Itália e conseguir um pódio em Mugello – é o que sempre quis e uma grande sensação. A equipa trabalhou muito bem todo o fim-de-semana e só lhes posso agradecer porque fizeram uma pequena alteração na afinação e fomos rápidos.”
 
Crutchlow admite que abrandou assim que Márquez caiu quando rodava em segundo:
 
“Estava a apanhá-los (piloto da Repsol Honda Team) mesmo depressa e pensei que podia lutar com eles antes do final da corrida se continuasse a puxar, mas assim que o Marc caiu abrandei o ritmo.”
 
O companheiro de equipa Smith ficou muito aliviado por ter alinhado na corrida, já sem falar na satisfação por ter terminado nos dez primeiros após a forte queda de sexta-feira e da qual resultaram lesões no pulso e num dedo. O piloto sofreu mais uma queda no wram-up.
 
“Para ser franco, a nona posição foi mesmo um resultado muito bom tendo em conta as circunstâncias,” disse o natural de Oxford. “A queda desta manhã era a última coisa que precisava, pelo que terminar a corrida com apenas um erro foi muito positivo para mim. Tive muitos problemas com a mão esquerda, assim como com o pulso, e foi tudo ampliado com o facto de Mugello ser uma pista fisicamente muito exigente.”
 
“Acredito que fiz um bom trabalho. Teria sido bom bater o (Aleix) Espargaró no final, mas tendo em conta todo o fim-de-semana, devia estar satisfeito com mais um resultado nos dez primeiros. Depois de um fim-de-semana muito complicado para o meu corpo só preciso de descansar o máximo possível para estar em boa forma para Barcelona.”
 
Ao cabo de cinco dos 18 Grandes Prémios de 2013, a Tech 3 ocupa a terceira posição na tabela de Equipas com os mesmo 95 pontos que a Ducati Team.

Tags:
MotoGP, 2013, Cal Crutchlow, Bradley Smith, Monster Yamaha Tech 3

Outras actualizações que o podem interessar ›