Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone revê bem sucedida ronda de Mugello

Bridgestone revê bem sucedida ronda de Mugello

Masao Azuma, da Bridgestone Motorsport, faz análise detalhada da quinta jornada do Campeonato do Mundo de MotoGP de 2013.

 

As excelentes condições com que os pilotos foram recebidos no Grande Prémio de Itália TIM com pista seca em Mugello e temperaturas a chegarem aos 44ºC nas tardes de sábado e domingo, garantiram que as formações tiveram muitos dados para afinarem as máquinas para as 23 voltas da corrida.
 
Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, fez uma corrida inspirada para garantir a segunda vitória da época e a terceira consecutiva no circuito italiano à frente de Dani Pedrosa, da Repsol Honda, e de Cal Crutchlow, da Monster Yamaha Tech3.
 
A conservação dos pneus e táticas foram mais cruciais que nunca para os resultados dos que terminaram no pódio, e o Engenheiro Chefe do Departamento de Desenvolvimento de Pneus de Competição da Bridgestone, Masao Azuma, explica como foi importante os pneus traseiros da marca terem apresentado uma construção resistente ao calor no fim-de-semana passado.
 
“Depois da introdução das novas máquinas de 1000cc do MotoGP no ano passado a Bridgestone reviu o nível de severidade dos seus pneus para todas as jornadas do calendário. Estas avaliações têm por base o número de curvas para a direita e esquerda, o tipo de asfalto usado e muitos outros factores. usando este sistema de avaliação, Mugello foi sempre um dos circuitos mais severos do MotoGP para os pneus, mas o aumento das cargas geradas por estas motos mais pesadas e mais potentes aumentou o desgaste dos pneus neste traçado ao ponto de ser necessária uma construção resistente ao calor.”
 
“Como resultado, decidimos que para este ano a melhor decisão em termos de segurança dos pilotos era fornecer todos os nosso pneus traseiros com construção resistente ao calor para Mugello.”
 
Ele explicou também o processo por trás do fornecimento dos pneus específicos às equipas CRT em Mugello, dizendo: “Como estamos a fornecer slicks traseiros aos pilotos CRT este ano que são um pouco mais macios que os fornecidos aos pilotos de fábrica, isso significa que pela primeira vez o nosso composto de borracha macia foi usado no ombro direito de uma opção de slick traseiro em Mugello. O uso deste composto macio no ombro direito significa que decidimos usar uma construção resistente ao calor para os slick das CRT também por questões de segurança e os resultados foram os esperados; muito positivos.”
 
“Alguns pilotos notaram pequena diferença na aderência no lado do pneu com a construção resistente ao calor em comparação com os nossos slicks regulares, contudo, a prestação destes pneus ainda é muito elevada. Prova disso foram os novos recordes de qualificação e de volta mais rápida assinados em Mugello no fim-de-semana passado com os slicks traseiros resistentes ao calor.” 
 
Tendo em conta que o Grande Prémio de Itália TIM foi realizado mais cedo que o usual, desta feita a Bridgestone teve de considerar vários factores em preparação para a jornada de Mugello.
 
“Revendo os dados históricos, vimos que geralmente as temperaturas da pista em Mugello são muito elevadas, mas este ano não só a corrida foi disputada mais cedo, como a Europa tem tido uma Primavera foi inesperadamente mais fria que o usual. Considerámos estes factores quando decidimos a nossa distribuição de pneus para o Grande Prémio de Itália, em particular para os slicks frontais. Na verdade, esperámos até à quarta-feira antes da corrida para libertar a nossa distribuição de pneus frontais, isto porque queríamos as previsões climatéricas mais correctas possíveis.”
 
Comunicado de imprensa Bridgestone Motorsport  

Tags:
MotoGP, 2013

Outras actualizações que o podem interessar ›