Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bridgestone avalia ronda catalã do MotoGP™

Bridgestone avalia ronda catalã do MotoGP™

  Compostos slicks disponibilizados pela Bridgestone: Frontal: Médio e Duro. Traseiro: Macio, Médio e Duro (Assimétrico) Compostos de chuva disponibilizados pela Bridgestone: Duro (Principal), Macio (Alternativo)

 

Perguntas e respostas com Shinji Aoki - Director do Departamento de Desenvolvimento de Pneus de Competição da Bridgestone
 
Montmeló apresentou temperaturas no domingo passado. Como é que isto afectou a prestação dos pneus e escolha dos mesmo?
 
“Na verdade, todo fim-de-semana de corridas teve temperaturas de pista muito elevadas, com o pico a chegar aos 60ºC. Na quarta-feira antes da corrida modificámos a nossa distribuição de pneus para a corrida para oferecermos os nossos dois compostos mais duros no que toca aos slicks frontais porque sabíamos que as condições iam ser muito duras com os pneus. As temperaturas muito elevadas afectaram a prestação dos pneus ao tornarem a pista muito gordurosa e também ao aumentarem muito o desgaste. Em tiradas curtas vimos que a prestação imediata dos pneus era muito boa, com o Dani a estabelecer novo recorde de melhor volta na qualificação. O ritmo de corrida também foi melhor que no ano passado, mas vimos que ao longo da distância da corrida a prestação do pneu foi algo comprometida pelas elevadas temperaturas.”
 
“As condições muito quentes acabaram por não afectar muito a escolha de pneus; esta andou à volta da opção pelas características que melhor se adaptavam a um circuito onde os pilotos passam muito tempo em ângulos muito acentuados. Como resultado, todos os pilotos, excepto um, escolheram o slick frontal de composto duro uma vez que esta especificação oferece melhor estabilidade em curva, com o bónus de dar mais durabilidade. Este mesmo factor dos pilotos passarem muito tempo inclinados em curva foi outro motivo pelo qual a maioria preferiu o slick traseiro macio uma vez que querem o mais elevado nível de aderência lateral do pneu posterior quando estão inclinados nas curvas.” 
 
Com temperaturas tão elevadas no dia da corrida, ficou surpreso por nenhum piloto ter escolhido o composto traseiro duro?
 
“Esperávamos que alguns pilotos de fábrica escolhessem a opção do posterior duro em condições muito quentes, mas isso não aconteceu, pelo que não podemos dizer como teria sido a prestação ao longo da corrida. Vimos muitos pilotos avaliarem o slick traseiro de composto duro no início do fim-de-semana, muitas vezes com ritmo de corrida competitivo, mas na corrida em si todos os pilotos de fábrica optaram pela opção mais macia. Os pilotos querem sempre o máximo de aderência possível da lateral do pneu traseiro porque sentem que ter bom ritmo no início da corrida é muito importante para o resultado final. Com isto em mente, eles usam o slick frontal mais macio que estiver disponível e encontram forma de o gerir de forma eficiente ao longo da corrida.”
 
“Isto é uma tendência muito notável este ano; mesmo em condições muito quentes os pilotos trabalham arduamente durante os treinos para encontrarem forma de fazer o slick traseiro mais macio funcionar na corrida. O que é óbvio é que o progresso nos sistemas de gestão electrónica, afinação da moto, e estilo de pilotagem dos pilotos evoluíram a um ponto em que os pilotos podem claramente usar o composto de slick traseiro mais macio em quase qualquer cenário. Se eles conseguem gerir a durabilidade do composto macio, não há motivo para usarem o composto duro. Como resultado, estamos agora a desenvolver slicks traseiros experimentais para vermos se podemos alargar a janela de funcionamento do nosso slick de composto duro.”
 
Que desenvolvimento está a Bridgestone a levar a cabo para criar novo composto traseiro de slick duro que seja apetecível para os pilotos?
 
“O nosso programa de desenvolvimento de pneus de MotoGP está constantemente a apresentar novos pneus experimentais e no teste pós-corrida de Montmeló, na segunda-feira, avaliamos novo composto traseiro duro. As respostas dos pilotos a esta mais recente evolução é que foi um passo na direcção certa, pelo que vamos continuar a trabalhar neste sentido. Também estamos a considerar outros desenvolvimentos tecnológicos no que toca a compostos de borracha para os nosso slicks traseiros que queremos distribuir para testes no final deste ano. Assim que tenhamos o consenso geral dos pilotos sobre o que funciona melhor, podemos então considerar introduzir novo slick traseiro de composto duro na nossa oferta de pneus. Entretanto, vamos continuar a trabalhar em grande proximidade com a Dorna e a FIM para vermos como podemos usar da melhor forma a nossa gama de pneus para garantir que todos os pilotos da grelha têm os pneus que funcionam melhor em cada circuito.”

Tags:
MotoGP, 2013, GRAN PREMI APEROL DE CATALUNYA

Outras actualizações que o podem interessar ›