Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Primeiras sensações partilhadas na conferência de imprensa

A conferência de imprensa de pré-evento do eni Motorrad Grande Prémio da Alemanha teve lugar esta tarde e contou com a presença do líder do Campeonato Dani Pedrosa (Repsol Honda Team), Jorge Lorenzo e de Valentino Rossi (Yamaha Factory Racing), Cal Crutchlow (Monster Yamaha Tech 3), Andrea Dovizioso (Ducati Team) e Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP).

Naturalmente, as atenções centraram-se no Campeão do Mundo em título, com Lorenzo a ter terminado nos cinco primeiros em Assen apesar de fractura na clavícula. “Fiquei mesmo surpreso por ter tido a possibilidade de correr em Assen, mas também fiquei surpreso com a rápida recuperação que estou a ter,” começou Lorenzo. “Sinto melhorias todos os dias, também porque estou a fazer fisioterapia todos os dias – de manhã e de tarde – pelo que são muitas horas de trabalho em conjunto. Não sinto que esteja perfeito, mas sinto-me muito melhor que em Assen e isso é bom. Foi doloroso e assustador… mas foi o bastante para terminar em quinto e foram só dois pontos (perdidos) – isso foi o mais importante.”

Pedrosa, neste momento com nove pontos de vantagem sobre Lorenzo na geral, terminou em quarto na Holanda, o que igualou o seu pior resultado de 2013 conquistado no Qatar. Contudo, ele está agora mais confiante perante os circuitos que tem pela frente. “Penso que estamos a lutar em pistas em que sempre lutámos, pelo que ficámos um pouco atrás, mas isso já era mais ou menos esperado,” explicou o piloto que venceu os últimos três Grandes Prémios da Alemanha em Sachsenring. “Penso que também podemos ter boas corridas a partir de agora; só temos de trabalhar muito no fim-de-semana e em cada treino, testar os pneus na moto para encontrar boa afinação e obter um bom resultado para mim e para a equipa.”

Crutchlow não conseguiu esconder o que sente, e acredita que tem de trabalhar muito em conjunto com a equipa para manter o forte ritmo durante toda a corrida. “Foi uma oportunidade falhada,” disse o britânico sobre Assen, onde terminou em terceiro depois de se ter estreado na pole. “Mas podia olhar para todas as corridas e dizer que foram oportunidades perdidas porque nunca ganhei uma. Senti-me mais confiante no final da corrida, mas era muito tarde. Não é apenas a moto e a afinação; sinto que também tenho de melhorar enquanto piloto para conseguir começar e terminar forte.”

Pelo contrário, Valentino Rossi fez os cabeçalhos de todo o mundo ao reclamar a 80ª vitória na categoria rainha na última prova, colocando ponto final em mais de duas épocas sem triunfos. “É fantástico,” comentou Rossi. “Estou muito contente porque tenho muitos fãs em todo o mundo e tenho longa carreira com boas batalhas e boas vitórias, pelo que ganhar em Assen depois de tanto tempo é positivo. Agora vai ser importante confirmar que aumentei o meu nível e a minha velocidade para tentar lutar com os da frente. Esta pista não é uma das minhas preferidas no que toca a traçado, mas tenho grandes memórias e grandes batalhas aqui.”

Na Ducati Team, com quem Rossi passou as épocas de 2011 e 2012, Andrea Dovizioso continua a adaptar-se à sua mais recente situação. Após o teste de Misano entre as corridas de Assen e Sachsenring, o italiano vai correr com o novo chassis nesta jornada. “Vai ser um fim-de-semana duro, sabemos isso,” disse Dovizioso sem rodeios. “Tivemos bom teste em Misano na semana passada. Vamos testar coisas diferentes aqui; novo chassis, com melhores sensações na última parte da travagem para entrada em curva. Não fará grande diferença nos tempos por volta, mas é um pouco diferente. Não estamos a lutar pelo Campeonato, pelo que nos podemos correr este risco. São mais dados que vamos recolher com o novo material, o que é importante.”

Outro homem que está em busca de resultados melhores é o herói da casa Stefan Bradl, que partiu da primeira linha da grelha na sétima jornada, mas terminou em sexto numa prova em que rodou com travões Brembo por oposição aos habituais Nissin. “Esperávamos um pouco melhor em Assen, mas tivemos alguns problemas no início da corrida,” explicou o germânico. “Não me senti confortável, pelo que não consegui puxar e perdi tempo no início. Vou continuar (com os travões Brembo) aqui. Assen foi a primeira vez, pelo que houve alguma diferença, especialmente no início da corrida uma vez que em Assen travamos para duas curvas e conseguimos boas temperaturas, mas noutras áreas o circuito é muito fluído; por esse motivo fui lento no início. Como podem ver, os fãs aqui são fantásticos porque adoram corridas e é muito importante para eles e para mim.”

Tags:
MotoGP, 2013

Outras actualizações que o podem interessar ›