Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Conferência de imprensa marca início da jornada de Laguna Seca

O segundo fim-de-semana do ano do MotoGP™ nos Estados Unidos começou hoje com a tradicional conferência de imprensa de pré-evento do Red Bull Grande Prémio dos E.U.A., em Laguna Seca, onde o actual líder do Campeonato Marc Márquez, da Repsol Honda Team, contou com a companhia de Cal Crutchlow, da Monster Yamaha Tech3, Valentino Rossi, da Yamaha Factory Racing, Nicky Hayden, da Ducati Team, Colin Edwards, da NGM Mobile Forward Racing, e Alex de Angelis, que substitui o lesionado Ben Spies na Pramac Racing Team.

 

Márquez, que nunca correu em Laguna Seca, está desejoso por tomar contacto com a traiçoeira pista: “Esperava menos curvas cegas. Parece uma pista muito diferente, mas veremos na moto. As curvas inclinadas, em particular, serão interessantes.” E respondendo a questões sobre como se sente por ser o líder do Campeonato, ele respondeu: “É claro que é bom para o espectáculo, mas está muito renhido. Apenas 37 pontos para o Valentino, em quinto.”
 
Crutchlow, que voltou a sofrer aparatosas quedas na última jornada em Sachsenring, está apostado em ir para a paragem de Verão com mais um forte resultado: “Tem sido uma boa primeira metade de época, e sem a minha queda de Barcelona talvez fosse ainda melhor. Em Sachsenring tivemos um forte resultado e espero continuar da mesma forma.” Quanto ao seu estado físico, disse: “Depois da queda senti-me adoentado, e sempre que comia ficava muito mal-disposto. Por isso fiz mais alguns exames, mas está tudo a recuperar bem.”
 
Rossi, que foi protagonista da famosa batalha aqui em 2008 com Casey Stoner, quer melhorar o resultado da última corrida: “Gosto muito do circuito. É especial e diferente. No passado não foi uma das minhas melhores pistas, excepto em 2008. Sachsenring foi um bom fim-de-semana para mim, mas no domingo não fui suficientemente rápido, pelo que precisamos de mais um passo. Temos de compreender o nível do Dani [Pedrosa] e do Jorge [Lorenzo] – eu e o Cal não estamos muito longe, mas estamos um passo atrás.”
 
Hayden, que venceu aqui em 2005 e 2006, disse que este será o seu último ano com a Ducati: “Os primeiros anos correram como planeado, o primeiro ano em particular foi um sonho. Não chegamos aqui na nossa melhor forma, mas espero fazer algo de bom antes da paragem de Verão. No próximo ano não volto ao MotoGP™ com a Ducati – não tenho a certeza do que vou fazer. Tenho opções interessantes.” Quando instado a dizer se a opção era na categoria rainha, ou noutro campeonato, ele brincou: “Não sei se a Repsol Honda me vai bater à porta. É claro que o MotoGP é onde tenho o coração, mas tenho de avaliar as opções. Infelizmente os resultados não foram os planeados ao longo dos anos, mas é assim.”
 
O compatriota Edwards está em semelhante situação de incerteza quanto ao futuro e começou a conferência de imprensa por sugerir que a equipa contratasse Hayden para fazer um “Team America”. Sobre os seus progresso e da equipa disse: “Parece que estamos a chegar lá, passo a passo. Em Barcelona a Bridgestone trouxe um pneu traseiro de que gostei e vamos ter o mesmo aqui. Também não tenho nada [para o próximo ano], mas a equipa está a trabalhar em algo que deve melhorar a prestação [acordo verbal com a Yamaha para aluguer de motores].” Como piloto mais velho do paddock, a questão sobre a motivação para continuar foi colocada e teve como resposta: “Adoro fazer cavalinhos!”
 
De Angelis ficou contente com a oportunidade de rodar com a Desmosedici em Laguna Seca e disse: “Esta é uma grande oportunidade para mim, mas será um fim-de-semana muito duro! Obrigado à Ducati por me ter chamado e obrigado à NGM pela oportunidade. É especial trabalhar com a Ducati e o meu objectivo é melhorar o meu tempo por volta sempre que estiver em pista.” Ele teve algum tempo aos comandos da moto em Misano e comentou: “É coisa mais rápida com que rodei em toda a minha vida.”
 
A conferência de imprensa foi muito animada, com vários a questionarem se Márquez tinha testado aqui de forma secreta com uma moto privada. O espanhol respondeu com um firma não, mas Crutchlow brincou dizendo que se ele for rápido desde os momentos iniciais “saberemos que esteve aqui há duas semanas.” Rossi também aconselhou o espanhol: “O Marc devia andar devagar este ano, aprender a pista, e depois ser rápido no próximo ano.”
 
Outra curiosidade do fim-de-semana prende-se com o médico que vai declarar Lorenzo e Pedrosa aptos, ou não para correr; o médico também se chama Rossi, o que levou à brincadeira do italiano: “Para mim estão claramente inaptos!” Mas acrescentou que não há qualquer relação entre ambos.
 

Tags:
MotoGP, 2013

Outras actualizações que o podem interessar ›