Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Bautista vs Bradl: "Pódio Honda" em jogo

Bautista vs Bradl: "Pódio Honda" em jogo

Separados por dez pontos na geral, os dois pilotos das formações satélite da Honda protagonizaram espectacular última volta, com o espanhol uma vez mais a levar a melhor sobre o germânico.

 

Mas uma prova onde Álvaro Bautista esteve em grande plano, lutando de início a fim com muita garra em Aragão. O espanhol acabou por ceder a Valentino Rossi na última volta, que já o tinha batido nos embates de Brno e Silverstone, mas ficou bem claro que a prestação e resultado final na corrida serviram para elevar a moral de Bautista para a fase final da época com a Malásia, a Austrália e o Japão a revelarem-se muito importantes.
 
A luta com Rossi foi muita, mas a última volta do piloto Go&Fun Honda Gresini ficou mais complicada com a chegada de Stefan Bradl e consequente despique entre ambos na última volta e até à linha de meta.
 
“Foi uma corrida muito bonita, diverti-me muito a lutar com o Crutchlow, o Bradl e o Rossi,” disse Bautista. “Foi uma pena ter, uma vez mais, perdido o pódio, mas estou contente porque tentei conquistá-lo até ao último momento.”
 
“Na última volta lutei com o Bradl e perdi contacto com o Valentino. Não me lamento, estou contente com o resultado conseguido numa pista em que sempre tivemos muitos problemas. Estou satisfeito por ter voltado a competir a este nível, o que confirma que o resultado de Misano (7º) foi condicionado por um imponderável.”
 
Também Stefan Bradl centrou o comentário pós-corrida nos últimos minutos do Grande Prémio: “Creio que foi uma volta emocionante para quem viu a corrida na televisão; também desfrutei muito. Foi um fim-de-semana positivo e a corrida foi muito boa apesar de ter perdido a batalha com o Álvaro e Valentino na última volta. De todas as formas, estou contente.”
 
“Sonhava com o regresso ao pódio, mas o Álvaro bateu-me. Depois das corridas de Silverstone e Brno (corridas algo difíceis para nós), estamos a melhorar semana após semana e agora corro como gosto. Só tenho de aprender a gerir melhor os pneus nas últimas voltas, mas a direcção é a correcta.”
 
Por seis vezes nesta época o espanhol e também o alemão cruzaram a linha de meta um atrás do outro, duas vezes com Bradl na frente e quatro com Bautista. Em Aragão o duelo voltou a ser directo, taco a taco, enquanto nas corridas anteriores (Assen, Sachsenring, Indianápolis, Brno, Silverstone) cruzaram a meta com menos de quatro segundos de diferença.
 
Bautista (125 pontos) e Bradl (135) vão continuar a luta nos últimos quatro GPs da época; em jogo está o “Pódio Honda” – ou a primeira Honda depois das de Márquez e Pedrosa – e o sexto posto do Campeonato do Mundo... se bem que com atenção a Crutchlow (156 pontos) que precede a ambos.

Tags:
MotoGP, 2013, GRAN PREMIO IVECO DE ARAGÓN, Alvaro Bautista, Stefan Bradl, LCR Honda MotoGP, GO&FUN Honda Gresini

Outras actualizações que o podem interessar ›