Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Ronda do Oriente arranca com Márquez no topo

Os rivais de Marc Márquez têm muito que trabalhar no Shell Advance Grande Prémio da Malásia, em Sepang, neste fim-de-semana para reduzirem os 39 pontos de diferença que têm para o piloto da Repsol Honda Team quando faltam disputar apenas quatro jornadas no Campeonato do Mundo de MotoGP™.

 

Jorge Lorenzo, da Yamaha Factory Racing, é quem está mais perto e vai dar tudo para tentar recuperar o máximo de pontos ao estreante da Honda, que no venceu a última corrida de Aragão e fez os cabeçalhos não apenas pelo resultado. O contacto com o colega de equipa Dani Pedrosa, que levou à falha do sensor da roda traseira de Pedrosa, e resultou em aparatosa queda, vai ser discutido pela Direcção de Corrida e pilotos nesta quinta-feira.
 
Pedrosa, que agora está a 59 pontos de Márquez, está bem consciente que as possibilidades de chegar ao ceptro dependem de vencer as últimas corridas e de maus resultados dos adversários. É talvez aqui que Valentino Rossi, da Yamaha, pode entrar; o italiano necessita desesperadamente de outra vitória e mostrou laivos desse ritmo nos treinos e qualificação em Aragão. Ele vai tentar dar o próximo passo e desfiar os três primeiros.
 
Cal Crutchlow, da Monster Yamaha Tech3, espera que a falta de velocidade de pontos do novo motor seja resolvida antes da corrida na Malásia, enquanto o colega de equipa e estreante Bradley Smith está contente por não ter de conhecer uma nova pista aos comandos de uma máquina de MotoGP™, já que foi muito o tempo que passou no traçado em testes, tal como o resto do pelotão da categoria rainha. As Honda satélite de Álvaro Bautista (GO&FUN Honda Gresini) e Stefan Bradl (LCR Honda MotoGP) levaram a cabo grande batalha no MotorLand, algo que vão certamente repetir.
 
Para a Ducati Team será mais um fim-de-semana a tentar chegar mais perto dos construtores nipónicos, com Andrea Dovizioso e Nicky Hayden a lutarem pelas honras da melhor posição na equipa. A satélite Pramac Racing espera fim-de-semana positivo como o que teve em Espanha, onde Yonny Hernández, que substituiu Ben Spies devido a lesão, continuou a adaptar-se à máquina da Ignite Pramac. Ao lado de Andrea Iannone na Energy T.I. bike, Hernández espera que o seu estilo de pilotagem possa trazer bons resultados com a Desmosedici.
 
Entre as CRT foi confirmado que o italiano Luca Scassa vai rodar no lugar de Karel Abraham na Cardion AB Motoracing até ao final da época, enquanto o australiano Damian Cudlin vai continuar a ocupar o lugar de Hernández na PBM. Ambos fizeram grandes progressos em Aragão e esperam levar as suas motos o mais perto possível do líder das CRT, Aleix Espargaro, da Power Electronics Aspar ART.

Tags:
MotoGP, 2013

Outras actualizações que o podem interessar ›