Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Moto3™: Três formas de ganhar o título

Moto3™: Três formas de ganhar o título

Três inquestionáveis talentos por direito próprio. Luís Salom, Maverick Viñales e Alex Rins garantiram uma luta muito renhida pelo título de Moto3™ em 2013. Curiosamente, cada um deles chega ao fim-de-semana de Valência com possibilidade de se sagrar Campeão…

A histórica:
Algo que raramente acontece no Campeonato do Mundo. Três pilotos, três estilos totalmente diferentes e três métodos distintos de ultrapassar as adversidades. Portanto, são três pilotos, cindo pontos entre eles e prontos para correr.
 
Eles partilham uma coisa em comum: a tudo conquistadora moto KTM. Contudo, as suas equipas são totalmente independentes umas das outras (Red Bull KTM Ajo para Salom, Team Calvo para Viñales e Estrella Galicia 0,0 no caso de Rins). Mais um motivo de emoção à chegada ao Ricardo Tormo com tudo em aberto na geral.
 
O único paralelo na categoria mais baixa desde o início do Campeonato do Mundo em 1949 talvez seja a batalha das 125cc em que Stefan Prein, Loris Capirossi e Hans Spaan chegaram à decisiva corrida de Phillip Island separados por nove pontos.
 
Os candidatos:
Comecemos por Luís Salom. Não tem sido o melhor na qualificação, apesar de quatro poles e um total de oito partidas desde a primeira linha.  Contudo, ele tem sido “letal” nos momentos finais da corridas, somando sete vitórias em Grandes Prémios e mais quatro pódio. O seu ponto forte é a táctica, muitas vezes esperando até ao último momento antes de aplicar o seu forte ritmo no final da corrida, ou de assegurar o primeiro posto no último momento possível, tirando o máximo partido dos cinco anos de experiência no Campeonato do Mundo. Assen foi um exemplo clássico.
 
Mais maduro, Maverick Viñales era o principal favorito antes do arranque da campanha. A sua consistência tem sido incrível: fora do pódio apenas por duas vezes está época – e mesmo assim terminando em quarto ou quinto e a fracções de segundo do terceiro. Um nível impressionante pelos padrões de qualquer um, ainda para mais quando se tem em conta que perdeu parte de um dedo num acidente de pré-época.
 
Ao longo da temporada Rins tem demonstrado laivos de puro brilhantismo, além de recordar que as coisas podem correr mal a qualquer momento. Por um lado, ele pode contar com seis vitórias e mais sete pódios. Por outro, três nulos: um em Jerez, depois despique com o colega de equipa Alex Márquez em Brno e o que se pode ter revelado como a queda decisiva quando rodava em terceiro em Motegi e quando já sabia que Salom estava fora da corrida. Tremendamente rápido ao sábdo, ele tem sete poles, mas desperdiçou algumas oportunidades. Mas também, que mais se pode esperar de um jovem de 17 anos?
 
Que vença o melhor…
Salom, Viñales e Rins: experiência, consistência e brilho. Em Valência os três vão esquecer a viagem que já fizeram até agora – tirando alguns detalhes – tudo se resume a esta corrida. Quem terminar à frente será o merecedor Campeão do Mundo de Moto3™. Que vença o melhor…

Tags:
Moto3, 2013, Maverick Viñales, Luis Salom, Alex Rins

Outras actualizações que o podem interessar ›