Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Rossi: "Enquanto conseguir vou correr"

Além de revelar à Sky Italia que está apostado em prolongar o seu contrato com a Yamaha por mais um ano, Valentino Rossi falou sobre os adversários, os sucessores e sobre o que poderá trazer a vida depois do MotoGP.  

O assunto mais quente claro que foi a luta com Marquez - o que pensa sobre o Campeonato do Mundo e se está preocupado com o facto do seu recorde poder vir a ser batido algum dia: “Ele é muito bom, preocupa-me, mas é também um bom tipo e está sempre pronto para lutar. É alguém que sabe correr muito bem com a mota e tem sempre um grande desejo de vencer, de estar na frente - por isso, é um grande adversário.

 

“Vai ser preciso muito tempo [para bater o meu recorde], mas ele tem potencial para o fazer. Não sei se vou ficar chateado se o conseguir, mas por agora ainda não está perto disso e ainda tem que vencer muitas corridas”.

 

Sobre a sua relação com Lorenzo, que parece ter melhorado bastante, Rossi disse: “ É boa. Crescemos muito juntos, antigamente não gostávamos muito um do outro, mas agora há um grande respeito. Isso permite-nos trabalhar juntos para melhorar a Yamaha. Claro que sou o seu principal adversário e ele o meu. Mas, gosto de ser companheiro de equipa do Lorenzo, espero que ele continue com a Yamaha”.

 

Muitas lutas foram travadas entre Lorenzo e Rossi no passado, o que traz à memória mais lutas e adversários de Rossi ao longo dos anos: “Tive tantos: o Capirossi em 250,  depois nas 500 o Biaggi, o Gibernau, outra vez o Capirossi, depois o Lorenzo, o Stoner, o Pedrosa – e agora o Marquez. Eles tornaram-se sempre um pouco mais fortes”.

 

Quando arrumar o ‘fato’, Rossi pensa que a bandeira italiana irá ficar bem representada: “Há tantos pilotos italianos fortes, na minha opinião. Diria que o Fenati, o Antonelli, o Bagnaia, o Morbidelli, o meu irmão que irá fazer o CEV, o Bulega, e esqueço-me de alguns. De qualquer forma, há pelo menos 10 que podem ser meus potenciais sucessores”.

 

Dois dos potenciais sucessores claro que estão na equipa apoiada por Rossi, a Sky Racing Team VR46, este ano no Moto3™. No Qatar as coisas podem não ter corrido como planeado, mas Rossi está satisfeito pelos resultados obtidos até agora: “Estou muito satisfeito, estamos a divertimo-nos com a equipa a trabalhar com a Sky. Construímos uma equipa do mais alto nível com o Fenati e o Bagnaia. Tenho que dizer que na primeira corrida, especialmente o Fenati, desiludiu um pouco porque estávamos à espera de muito mais dele - porque tem o potencial. Mas, somos uma equipa nova, precisamos de algum tempo”.

 

Quando e se estes jovens pilotos ocuparem o seu lugar, Rossi não descarta a hipótese de mudar para os rallies - uma coisa em relação à qual já demonstrou interesse: “Adoro, é a minha grande paixão. Eu já conduzi os carros, já fiz rallies, o Monza Rally no final do ano. Também estive no Campeonato do Mundo de Rallies, mas decidi que enquanto conseguir vou ficar nas motas. Depois logo se vê”.

Tags:
MotoGP, 2014, Valentino Rossi

Outras actualizações que o podem interessar ›