Compra de bilhetes
Compra de VideoPass

Termas de Río Hondo representa novo desafio para a Bridgestone

A Argentina é a próxima paragem para o Campeonato do Mundo de MotoGP™ de 2014 que se estreia no renovado Autódromo Termas de Río Honda, palco da terceira jornada do ano.

O circuito de 4,8 km é caracterizado por numerosas curvas rápidas e longas que devem resultar numa das mais elevadas velocidades médias do ano. As altas velocidades, as zonas de fortes travagens e os elevados ângulos de camber de algumas das curvas fazem com que este circuito seja um dos mais exigentes para os pneus.
 
O circuito de Río Hondo tem nove curvas para a direita, contra apenas cinco esquerdas. Contudo, as curvas para a esquerda tendem a ser mais de natureza mais deveram que as direitas, em particular as curvas 6 e 11 que geram elevadas temperaturas nos pneus, pelo que as cargas colocadas nos ombros direito e esquerdo dos pneus são similares. O pneu traseiro disponível será assimétrico.
 
A severidade geral da pista faz com que a distribuição de pneus traseiros conte com borrachas dos compostos mais duros. O slick traseiro para os pilotos de fábrica da Honda e Yamaha vão contar com compostos médio e duro, enquanto a Ducati e as máquinas Open vão ter ao dispor compostos macio e duro para os slicks traseiros.
 
Como este é um novo traçado para o MotoGP™, os dados da Bridgestone relativos à pista estão limitados aos que foram recolhidos pelo teste realizado por Stefan Bradl, Cal Crutchlow e Álvaro Bautista no ano passado.
 
Em resultado disso, os pilotos vão contar com um slick frontal especial neste GP para garantir que têm opções suficientes para liderarem com as potenciais variações das condições da pista. Os pilotos vão poder escolher entre três opções de slick dianteiro: o macio, o médio e o duro. Normalmente são apenas duas opções por fim-de-semana.
 
Hiroshi Yamada, Director do Departamento de Motorsport da Bridgestone, comentou: “Do ponto de vista de competição, nenhuma das equipas de fábrica testou aqui no ano passado, pelo que será interessante ver quais os pilotos que serão capazes de se adaptar melhor às exigências neste rápido circuito. Este fim-de-semana será muito atarefado para os nossos engenheiros uma vez que vão ter de ajudar as equipas a conseguirem tirar o melhor partido dos pneus neste novo circuito.”
 
O seu colega Shinji Aoki, Director do Departamento de Desenvolvimento de Pneus, acrescentou: “O nosso teste no circuito no ano passado mostra que este é um dos circuitos mais duros do calendário para os pneus. O circuito é interessante nesse aspecto, e apesar de ter nove curvas para a direita contra cinco esquerdas, o ombro esquerdo do pneu sofre temperaturas mais elevadas que o direito, tudo devido ao facto das esquerdas serem geralmente maios rápidas e exigentes. Como temos poucos dados desta pista, decidimos trazer uma distribuição especial do pneu frontal neste fim-de-semana para garantir a máxima segurança dos pilotos.”

Tags:
MotoGP, 2014

Outras actualizações que o podem interessar ›