Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Redding confiante antes de visita à Toscana

Scott Redding vai para a sexta jornada do Campeonato do Mundo de MotoGP™ de 2014, em Mugello, com o mesmo objectivo claro com que se apresentou em todos os Grandes Prémios já disputados este ano – terminar a corrida de domingo na melhor posição possível entre os pilotos dotados da Honda RCV1000RR.

É um objectivo que o britânico de 21 já concretizou por duas vezes esta temporada, uma na primeira corrida do ano no Qatar e depois em Le Mans, há menos de duas semanas. Voltar a fazê-lo em Itália seria ouro sobre azul, pois o Grande Prémio de Itália TIM é a ronda caseira da GO&FUN Honda Gresini Team.
 
Nas cinco corridas já disputadas este ano Redding somou 18 pontos, apenas menos cinco que o também piloto Open da Honda e antigo Campeão do Mundo Nicky Hayden.
 
Mugello é uma das pistas preferidas de Redding já que foi nela que apresentou prestação dominadora no ano passado quando venceu de forma convincente o embate da Moto2™ desde a pole position.
 
Ele também conta com alguma experiência de MotoGP™ na pista depois de ter testado com a Ducati Desmosedici de desenvolvimento em 2012, altura em que completou 127 voltas ao longo de dois dias.
 
No que toca à pista em si, ele afirma: “Não era uma das pistas de que mais gostava, mas no ano passado deixei a pista fluir comigo e senti-me muito confortável. Tivemos uma grande queda na FP3 no ano passado, mas depois conseguimos a pole e vencemos a corrida, pelo que me senti muito confiante. Também testei com uma máquina de MotoGP e também me senti muito bem.”
 
Sobre as altas velocidade de ponta na recta da meta, ele admite: “A parte mais assustadora de rodar com uma MotoGP aqui, para mim, é a velocidade, temos de nos segurar bem à moto para não sermos sugados para trás. É uma parte muito difícil e depois quando se trava a altas velocidades pensamos ‘Não vou conseguir’, e depois, no último momento, quando os discos de carbono funcionam conseguimos travar a moto. A parte de que mais gosto são todas as mudanças de direcção, se as conseguimos fazer bem com esta moto é um traçado mesmo bom.”
 
Encontrar a afinação correcta para o circuito não é fácil, de acordo com Redding: “Para fazer a moto mudar de direcção é necessário muito peso na frente, ou uma moto curta. Se temos uma moto curta fazemos mais cavalinhos. Se colocamos mais peso na frente para levantarmos a traseira para mudar de direcção lutamos para travar.”
 
“Em Mugello também temos algumas travagens a descer, que na verdade é pior se temos a traseira alta. Por isso, é muito complicado ter uma boa afinação neste circuito para mudar de direcção sem ser muito difícil para o piloto, mas também para conseguirmos travar a moto no final da recta e fazer descidas como a da Curva 4.”

Tags:
MotoGP, 2014, Scott Redding, GO&FUN Honda Gresini

Outras actualizações que o podem interessar ›