Compra de bilhetes
VideoPass purchase

De Puniet sobre os progressos da Suzuki MotoGP™ e o desafio de Suzuka

De Puniet sobre os progressos da Suzuki MotoGP™ e o desafio de Suzuka

Antes de participar nas 8 Horas de Suzuka e depois de vários meses de importantes testes de MotoGP™ com a Suxuki, o motogp.com falou com o gaulês Randy de Puniet.

A Suzuki testou em vários palcos de Grandes Prémios este ano. O que é que se segue em termos de programa de testes?
“Estivemos nos testes de Inverno de Sepang. Em Austin e na Argentina, infelizmente, não pude rodar, mas consegui fazê-lo em Phillip Island e em Barcelona. O programa é diferente em Julho, estou a preparar-me para as 8 Horas de Suzuka no final do mês. O meu programa de MotoGP começa de novo em Setembro, o que deixa uma importante paragem. Depois devemos estar em Mugello, Aragão e Valência. É muito provável que tenhamos uma participação wildcard – tentaremos em Valência, em Outubro. Em Agosto estava planeado um teste em Brno, mas foi cancelado e substituído pelo de Phillip Island. Foi por isso que aceitei a oportunidade de participar nas 8 Horas de Suzuka, para continuar a rodar, experimentar uma moto diferente e fazer pelo menos uma corrida esta época.”
 
Em que elementos em particular está concentrado o desenvolvimento da Suzuki?
“Temos trabalhado principalmente na electrónica nos últimos tempos. Passámos da centralina Mitsubishi para a Magnetti Marelli em Sepang 1. Há muito a fazer nesta matéria porque mesmo quando a moto não está em pista os engenheiros nipónicos continuam a trabalhar para limar arestas. Fizemos progressos importantes, mas é difícil definir as minhas sensações exactas sobre a moto porque rodei sempre em condições diferentes de um teste para o outro. Quando não há base ou referência não há nada para comparar e é difícil avaliar os progressos.”
 
Como estão a trabalhar principalmente na electrónica isso significa que a moto já está em boas condições em termos de quadro e motor?
“A moto está pronta, mas uma vez mais, é difícil avaliar o potencial agora. Penso que as bases são mesmo boas, mas em termos de potência pura não sei onde estamos. A moto tem de ser usada por outros pilotos para podermos comparar e progredir ainda mais.”
 
Além da vontade de continuares a rodar durante a paragem, como é que surgiu a possibilidade de correres nas 8 Horas de Suzuka?
“Primeiro, adoro a pista. É uma corrida lendária e muito importante para a Suzuki. Penso que agora temos uma equipa totalmente capaz de vencer esta prova. É por isso que vou dar tudo para me adaptar à moto para vencer. Ganhar as 8 Horas de Suzuka seria um verdadeiro feito para mim nesta época tão tranquila.”
 
Quer corras com a Suzuki no MotoGP no próximo ano, ou não, que outras opções terias?
“Está pronto um contrato com a Suzuki para mim, como piloto de testes ou noutro sítio. Posso optar por aceitar, ou não. É por isso que gostávamos de ser informados sobre os planos deles para o futuro o mais depressa possível porque quero mesmo voltar a competir, mas não em condições fracas. Por agora, o objectivo principal é voltar ao MotoGP. Se houver uma opção nas Superbikes, porque não, mas quero mesmo estar na grelha de partido do MotoGP em 2015.”

Tags:
MotoGP, 2014

Outras actualizações que o podem interessar ›