Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Crutchlow sobre o ano de "construção de carácter" até ao momento

Crutchlow sobre o ano de "construção de carácter" até ao momento

Antes do seu mais importante fim‑de‑semana do ano, o Hertz Grande Prémio de Inglaterra, Cal Crutchlow relatou longamente as experiências de 2014.

A passagem de Crutchlow para a Ducati Team no final da época passada não deu os resultados que ele esperava, tendo em conta que em 2013 esteve no pódio três vezes com a sua antiga formação Monster Yamaha Tech 3.
 
Falando do ano até ao momento, ele disse: “Penso que se olharmos historicamente para os tipos que correm com a Ducati, o primeiro ano foi sempre difícil. Creio que é preciso um ano para nos habituarmos à moto. É uma situação diferente daquilo a que estou acostumado. Estive na Tech3, onde era muito mais fácil obter resultados, mas nunca estive, ao longo da minha carreira, numa situação em que tenha sido tão lento e tão mau. A vida é assim, temos bons e maus anos, mas estou optimista.”
 
Sobre as dificuldades em concreto que tem com a Ducati GP14 acrescentou: “Temos uma coisa com a moto que claramente não compreendemos e é não conseguirmos o ângulo de inclinação. Temos menos uns cinco graus de inclinação que o Andrea (Dovizioso), mas ainda mais no limite. Vemos pelos dados que corremos mais riscos ao estarmos a cinco graus de distância na inclinação. Devia significar que corríamos menos risco, mas estou em mais risco de cair que ele, e assim que inclino mais um grau caio. É claro que para fazermos as curvas temos de inclinar a moto o mais possível.”
 
“Passei três anos a tentar inclinar-me como o Jorge (Lorenzo) e ele é um dos pilotos mais rápidos do campeonato, mas isso era com a Yamaha. Não queria voltar atrás e trocar o estilo de pilotagem que não acredito que funcione com todas as motos; creio que funciona apenas com a Ducati, mas no final acabámos por achar que o tínhamos mesmo de fazer e agora estou a mudar o meu estilo mas é difícil abandonar o que fazemos há anos.”
 
No próximo ano Crutchlow vai rodar pela CWM-LCR Honda, mas está determinado em mostrar a sua habilidade aos comandos da Ducati já neste fim‑de‑semana e durante o resto da época.
 
O britânico concluiu: “Acredito que fiquei mais forte com esta má época até ao momento, mas ainda tenho meio ano para provar que somos melhor que a posição que ocupamos. Creio que estou na mesma situação de muitos pilotos Ducati no primeiro ano com a marca. Tenho de continuar e dar 110% com o pessoal da Ducati durante o resto da temporada. O que posso levar disto é aprender a ser mais forte para o próximo ano. Tem sido uma época de construção de carácter, isso é claro.”

Tags:
MotoGP, 2014, HERTZ BRITISH GRAND PRIX, Cal Crutchlow, Ducati Team

Outras actualizações que o podem interessar ›