Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dakota Mamola: "Não tenho pressão da equipa"

Dakota Mamola: "Não tenho pressão da equipa"

A estrear-se nos Grandes Prémios neste fim‑de‑semana em Silverstone, Dakota Mamola vai rodar como piloto de substituição na Aspar Team, mas insiste que o principal objectivo é apenas ganhar experiência no Campeonato do Mundo.

O jovem Mamola já desejou rápidas melhoras a Nico Terol e que o espanhol regresse depressa às corridas, isto além de ter deixado claro que quer apenas tirar o melhor partido desta oportunidade de rodar no lugar de Terol no Hertz Grande Prémio de Inglaterra.
 
“Estou mesmo muito animado com o meu primeiro Grande Prémio e por voltar a rodar em Silverstone,” afirma Mamola. “Rodei lá nas 125cc do BSB e os fãs são uma loucura. Mesmo que chova, neve, marcam sempre presença para nos verem e espero que haja muito público.”
 
Explicando a abordagem que está a ter esta semana, o piloto do FIM CEV Repsol acrescenta: “Não temos expectativas, temos falado com a equipa e não estão à espera de nada em termos de nível elevado. Só fiz três corridas numa Moto2 no campeonato de Espanha, com a GRT e a Aspar, pelo que os tipos contra quem estou a correr têm muitos mais quilómetros feitos na moto. Esse é o principal motivo pelo qual vou competir este fim‑de‑semana, fazer mais voltas numa máquina de Moto2 e no chassis Suter. Vou trabalhar arduamente para aprender o mais que posso este fim‑de‑semana.”
 
Mamola explica também que o seu pai, quatro vezes vice-Campeão do Mundo de 500cc, o está a ajudar na estreia nos GPs.
 
“O meu pai não está a falar muito do tema porque não me quer pressionar muito,” comenta. “Ele sabe quanta pressão já tenho de outras pessoas por ser filho dele. A equipa também me está a dizer ‘não te queremos pressionar este fim‑de‑semana’. Querem apenas que me divirta, que aprenda com eles.”
 
Enquanto isso, nomes como Bradley Smith e Cal Crutchlow também estão presentes para darem conselhos, o que Mamola agradece.
 
“Tenho trocado mensagens com o Cal e o Brad e têm me ajudado com algumas dicas. Mas não terei mais informações antes de quinta-feira, quando lá chegar e fizermos a pista juntos a pé. Pedi-lhes para me ajudarem um pouco. São uma grande ajuda, dois pilotos de MotoGP e em especial o Bradl, que também conhece a máquina de Moto2 muito bem,” concluiu.

Tags:
Moto2, 2014, HERTZ BRITISH GRAND PRIX, Mapfre Aspar Team Moto2

Outras actualizações que o podem interessar ›