Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Fim‑de‑semana atribulado para Barberá com a nova Ducati

Fim‑de‑semana atribulado para Barberá com a nova Ducati

Héctor Barberá e a Avintia Racing tiveram um fim‑de‑semana difícil com a Ducati em Aragão, com a moto a incendiar-se na sexta-feira e corrida complicada no domingo.

O fim‑de‑semana começou com uma apresentação oficial da Ducati da Avintia Racing, mas no treino livre de sexta-feira a moto incendiou-se e Barberá viu-se forçado a abandonar a máquina devido às chamas. O espanhol escapou apenas com uma queimadura no braço esquerdo.
 
No sábado Barberá caiu na FP3 antes de recuperar bem na Q1 para ir para a Q2 com Valentino Rossi. Contudo, na Q2 Barberá teve problemas de vibração na frente da moto e não conseguiu estabelecer um tempo, pelo que partiu do 12º posto da grelha.
 
Uma boa partida na corrida viu-o rodar na 11ª posição na 3ª volta, mas acabou por cair para fora dos pontos com o decorrer da prova.
 
Além dos pilotos que desistiram por queda, Barberá foi o piloto mais afectado pela chuva no final da corrida. Assim que as bandeiras indicaram que os pilotos podiam trocar de moto – para afinações de chuva – a Avintia deparou-se com o problema de ter apenas uma moto para Barberá.
 
Isto fez com que ele tivesse de esperar enquanto os mecânicos trocavam os pneus da moto e ajustavam a suspensão para lidar com as condições molhadas da pista. Ao todo foram três minutos, enquanto o resto do pelotão trocava de montada numa média de 30 segundos. O atraso deixou Barberá em último na corrida.
 
Barberá disse: “São um monte de sensações porque estou contente com a moto; tive boas sensações com ele. Mas fiquei frustrado com todos os problemas que tivemos. Tivemos uma corrida com uma troca de moto logo quando tínhamos apenas uma moto. Foi um jogo para nós.”
 
“Digo sempre que este é um desporto em que as condições são as mesmas para todos; se chover é para todos, se as condições são mistas é para todos. Tivemos a desvantagem de termos apenas uma moto, mas decidimos assim e sabíamos que podia acontecer. Nunca rodei bem quando a pista estava meio seca, meio molhada e o início da corrida foi assim. Vou ficar com os aspectos positivos do fim‑de‑semana. Temos uma moto competitiva e a equipa fez um trabalho fantástico em condições muito difíceis.”

Tags:
MotoGP, 2014, GRAN PREMIO MOVISTAR DE ARAGÓN, Hector Barbera, Avintia Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›