Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Viñales: ‘Sempre me adaptei bem a novas motos’

Viñales: ‘Sempre me adaptei bem a novas motos’

O anúncio da Suzuki Motor Corporation do regresso ao Campeonato do Mundo com Aleix Espargaró e Maverick Viñales já era esperado há algum tempo, mas a comunicação oficial só surgiu na terça-feira. Numa entrevista com o motogp.com, Viñales partilha o que sente e o que espera de 2015.

O anúncio da Suzuki surge numa altura perfeita para Viñales, com o Campeão do Mundo de Moto3™ a ter ganho a sua segunda corrida de Moto2™ no domingo, no MotorLand Aragón.
 
Maverick, a notícia da Suzuki é agora oficial. Como vais abordar um desafio deste calibre?
Sim! Agora é oficial e estou muito contente. O facto de um nome como a Suzuki confiar em ti desta forma significa que trabalhaste bem ao longo dos anos. Espero dar-lhes o que esperam de mim.
 
E quanto à responsabilidade de te tornares num piloto de MotoGP™ e o facto de ires partilhar a pista com nomes tão famosos?
Vai ser fantástico competir com tipos como o Valentino (Rossi), Marc (Márquez) e o Jorge (Lorenzo)… Será fantástico! É um projecto muito bom, mas vamos ter de trabalhar ao máximo e ser muito competitivos.
 
Tens a impressão que está tudo a acontecer muito depressa, ou que a tua carreira está a desenvolver-se de forma natural? Já te sentes preparado para o MotoGP™?
Para ser franco, sinto-me cada vez mais preparado. Estou a trabalhar melhor a cada corrida e fim‑de‑semana que passa na Moto2™. Sei mais da equipa e da moto e estou a adaptar-me cada vez melhor a cada circuito. Além disso, estou cada vez mais confiante nas minhas decisões.
 
Ficastes surpreendido quando a Suzuki te abordou, um construtor tão apreciado a confiar num estreante de MotoGP™ como tu?
É claro… De início pensei que fosse uma brincadeira! Estava na minha primeira época na Moto2™ e, de repente, uma grande fábrica como a Suzuki queria-me. De início pensas ‘Eles vão querer falar comigo dentro de uns anos’, mas no final querem-me para o próximo ano e conseguimos chegar a acordo. É como um sonho. Estou muito contente por passar para a categoria rainha e estou desejoso por começar.
 
Esperas atingir o mesmo nível de prestação do teu colega de equipa Aleix Espargaró, ou a experiência dele no MotoGP™ significa que terá um papel mais importante no desenvolvimento da moto?
É claro, acredito que o Alexi tem um papel muito importante a desempenhar, em particular no que toca ao desenvolvimento da moto. Será tudo novo para mim. Contudo, sempre me adaptei bem a novas motos e vou claramente tentar dar o meu melhor.
 
Dentro de apenas alguns dias vais viajar para o Japão, para o próximo Grande Prémio. Será uma boa oportunidade para conheceres as pessoas da Suzuki, ou talvez até mesmo para visitares a fábrica…
De momento, não há nada marcado para visitar a fábrica. Vou esperar para ver o que acontece esta semana, mas adoraria visitar a fábrica e conhecer o pessoal!
 
Conseguiste acompanhar o progresso da moto durante os testes de 2014?
Acompanhei muito de perto, segui tudo e olhei com muita atenção para os tempos. Sei que melhoraram muito, mas é claro que até testarmos a moto por nós não saberemos exactamente onde estaremos em relação aos nossos rivais.
 
Entretanto, não nos podemos esquecer da Moto2™. No fim‑de‑semana passado ganhaste em Aragão e garantiste o título de Estreante do Ano. Isso significa muito para ti?
É claro! Vim para a categoria à espera de forte batalha com o Luis Salom, que também se está a estrear este ano e com quem lutei no ano passado na Moto3™. Até ao momento o Luis tem tido um pouco mais de problemas na Moto2, mas para mim o título de Estreante do Ano é fantástico, ainda para mais quando o conquistei ainda com quatro corridas por disputar.
 
Tens algum objectivo em concreto para o resto desta época? Como chegar aos 100 pontos, ou terminar o Campeonato na segunda posição, por exemplo?
Conquistar o título Mundial seria muito difícil agora, mas espero apanhar o Mika Kallio, em segundo. Mas tenho de dar tudo (Viñales está neste momento em terceiro da geral a 41 pontos do finlandês). Esse é o meu objectivo para estas quatro corridas. Creio que o Tito (Rabat) vai estar a pensar no campeonato, pelo que vou tentar tirar partido disso e tentar vencer outra corrida.

Tags:
MotoGP, 2014, GRAN PREMIO MOVISTAR DE ARAGÓN, Maverick Viñales

Outras actualizações que o podem interessar ›