Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Aleix Espargaró: ‘Chego à Suzuki no topo da minha carreira’

Aleix Espargaró: ‘Chego à Suzuki no topo da minha carreira’

Após o anúncio de terça-feira da Suzuki, que dá a saber que regressa ao MotoGP™ em 2015 com Aleix Espargaró e Maverick Viñales, Espargaró falou sobre as suas aspirações e impressões antes do novo desafio.

Espargaró tem apresentado fortes prestações nas últimas épocas com maquinaria CRT e Open e foi agora premiado com um lugar numa formação de fábrica. Assim que a notícia foi oficializada ele escreveu no Twitter: “Muito contente por anunciar que vou correr com a Suzuki no próximo ano! Muito motivado para esta nova aventura!”
 
O catalão disse ao motogp.com: “Estou muito contente porque penso que nos últimos três anos fiz um grande trabalho. A Suzuki é uma grande marca e ser piloto oficial de um construtor tão importante como a Suzuki é uma honra. Algo com que sonhava há anos.”
 
O Davide Brivio, Director Desportivo, disse na apresentação da GSX-RR que é uma moto totalmente nova. O que esperas quando chegares à garagem?
“Estou certo que vai ser difícil porque os testes este ano não correram tão bem como a Suzuki esperava. Falei muito com o Davide e sei que tiveram de cancelar testes por causa da chuva. Agora em Aragão não conseguiram rodar por causa da chuva. Sei que vamos ter muito trabalho e não será fácil, mas é uma equipa de fábrica e isso significa que eles querem muito vencer, querem fazer o máximo possível, tal como eu e o Maverick, para colar uma Suzuki de novo no topo.”
 
O Brivio também disse que o nível da Ducati é a primeira meta para a Suzuki…
“Sim, parece claro que de início seria errado compararmo-nos com a Honda ou a Yamaha. Temos de manter os pés no chão. Igualar a Ducati também não será fácil. fizeram um trabalho fantástico e ultimamente também estão muito competitivos nas corridas. O Dovizioso está a ter um ano fantástico. Mas quando aceito um desafio é para lutar para estar no topo, para lutar o mais depressa possível por pódio. A partir do momento em que se recusam ofertas com motos oficiais para ir para uma fabric como a Suzuki é porque se aspira a ser o melhor. Mas é claro que tenho de ter paciência no início e desenvolver a moto.”
 
O ano 2014 está a correr-te bem na classe Open e tiveste dois anos de sucesso nas CRT. Parece que este projecto surge na altura certa para ti?
“Tenho 25 anos, não sou muito novo, mas tenho ainda muito pela frente. Penso que o bom momento da minha carreira começou há três anos com o (Jorge Martinez) Aspar. Graças a ele tenho esta oportunidade com a Suzuki porque ele acreditou em mim quando não tinha mais nada. Cresci muito na equipa do Jorge e este ano com a Forward-Yamaha continuei a crescer. Não sei se é correcto dizer isso em relação a mim, mas penso que chego à Suzuki no topo da minha carreira. Estou pronto para o desafio e vou trabalhar como um louco para atingir bons resultados com a Suzuki.”
 
Em 2016 vão entrar em vigor várias alterações na classe de MotoGP™.  Vês isso como uma grande oportunidade para obteres resultados?
“É um dos motivos pelos quais decidi ir para a Suzuki. Sei que serão muitas as alterações em 2016 e quando há alterações as equipas mais fortes são sempre as que se adaptam mais depressa. Uma equipa de fábrica tem o potencial de se adaptar rapidamente e penso que será um ano muito interessante. É preciso algum tempo com a moto, a electrónica será a mesma para todos, haverá a mudança de pneus. É um ano em relação ao qual tenho grandes expectativas.”
 
O último pódio da Suzuki foi com o Chris Vermeulen em 2007 e o último título Mundial foi com o Kenny Roberts Jr em 2000. São objectivos para ti?
“É claro que é muito difícil pensar em vencer títulos Mundiais, mas esse é o objectivo de todos os engenheiros japoneses, dos pilotos e da equipa, lutar pelo máximo. Depois veremos o que acontece, mas é verdade que a Suzuki é uma marca com grande histórica, Campeã do Mundo. Não foi assim há tantos anos que o Roberts Jr venceu o Campeonato do Mundo.”
 
“A Suzuki não tem uma equipa 100% oficial no Campeonato do Mundo há anos. Em épocas recentes apoiaram uma equipa com o Paul Denning e as coisas não correram como o esperado. Agora será uma equipa totalmente de fábrica. Vão dar tudo porque o objectivo é vencer. Veremos quanto tempo demora, mas é claro que o objectivo é estar no topo. Eles estão muito optimistas e querem lutar desde o início pelo pódio. Sinceramente, creio que poderei fazer algo de fantástico com a Suzuki.”
 
Como achas que vai funcionar tudo com o Maverick, isto porque será um estreante na categoria? Terás mais influência no desenvolvimento da moto por teres mais experiência no MotoGP™?
“Estou contente por ter um colega de equipa de alto nível porque ele é o nosso primeiro rival e se for um piloto com talento temos de puxar ainda mais. Neste projecto é muito importante que trabalhemos de forma igual no início. Acredito que juntou avançaremos muito, mas é claro que tenho mais experiência dos últimos três anos a desenvolver motos com electrónica de MotoGP. O Maverick não. De início será difícil para ele, mas é um grande piloto com talento natural. Aprende depressa e estou certo que em duas ou três corridas vai estar a lutar comigo. Na minha opinião, a Suzuki apostou no futuro e escolheu o piloto mais talentoso que podia vir para o MotoGP.”

Tags:
MotoGP, 2014, Aleix Espargaro

Outras actualizações que o podem interessar ›