Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Márquez: "Este título é para agradecer à Honda ter-me deixado trazer toda a minha gente para a equipa"

Márquez: "Este título é para agradecer à Honda ter-me deixado trazer toda a minha gente para a equipa"

Marc Márquez conquistou no passado domingo o quarto Campeonato do Mundo da carreira, um prémio justo por uma temporada iniciada de forma brilhante e que surge a três corridas do final da época.

O circuito de Motegi, no Japão, foi palco no passado domingo da conquista do quatro ceptro por parte de Marc Márquez. O piloto da Repsol Honda revalidou a coroa de MotoGP™ na primeira verdadeira oportunidade que teve. Apesar dos erros cometidos nas duas últimas provas, Márquez deixou os rivais sem possibilidades de o apanharem e pôde celebrar em estilo com as corridas da Austrália, Malásia e Valência ainda por realizar.
 
Vencer um Campeonato do Mundo é mais difícil que ganhar dez corridas consecutivas?
“A verdade é que os erros destas últimas corridas me fizeram apreciar mais a conquista do Campeonato do Mundo porque a primeira parte da época foi muito boa, mas parecia que o título não queria surgir. Cometi alguns erros, talvez causados por excesso de confiança por saber que tinha uma grande vantagem. Essas vitórias iniciais permitiram-me o luxo de correr um pouco mais de riscos que o habitual. Mas tinha muito claro que queria vencer o título aqui, em casa da Honda, e isso também foi muito bom.”
 
Ganhaste quatro Campeonatos do Mundo em cinco anos. Achas que a tua vida está a passar muito depressa?
“Acho que não me dei conta disso. O mais importante é desfrutar o momento agora, porque nunca se sabe o que vai acontecer amanhã. Vencemos o título e temos de o festejar, como fazemos com cada vitória. É muito bom partilhar esta alegria com a família.”
 
O que se destaca em cada um dos títulos que já venceste na tua carreira?
“É claro que cada título é especial – cada um tens os seus momentos. O título de 125cc foi o primeiro e isso é sempre emocionante. Também foi mais difícil porque tive de o ganhar na última corrida. O ceptro de Moto2 foi satisfatório e também teve alguma raiva à mistura, depois do que tinha acontecido no ano anterior – cinco meses de fora por lesão. O primeiro ano no MotoGP foi uma grande surpresa. E este último título é para agradecer à Honda, que me deixou trazer toda a minha gente – a minha equipa – de volta e isso criou uma grande atmosfera na garagem.”
 
O que melhoraste do ano passado?
“Tentas melhorar todos os aspectos, mas a verdade é que me adaptei muito melhor ao pacote moto-piloto. Desenvolvemos um chassis centrado no nosso estilo de pilotagem e isso ajudou-me a concentrar-me mais em melhorar enquanto piloto e não tanto em fazer a moto melhor em si.”
 
 
Como encaras as últimas corridas da época?
“Com o objectivo de desfrutar. Sei que está em luta o segundo posto e que outros pilotos vão dar tudo, mas vou concentrar-me em dar o meu melhor e desfrutar de cada equipa.”
 
Como vais encontrar motivação para revalidares o título na próxima época?
“Encontra-se motivação em tudo, em particular depois de termos estado bem durante um ano. Tentamos manter a mesma forma e progredir e a equipa também puxa por nós.”
 
Achas que o teu irmão Alex vai ganhar o Campeonato do Mundo de Moto3™?
“É esse o objectivo! Vou ajudá-lo e dar-lhe todo o apoio possível. Acima de tudo, temos de lhe retirar toda a pressão porque liderar a classificação representa muita pressão. Será importante fazer com que esteja calmo, para que ele posso lidar bem com tudo, mas sei de experiência que a época é muito longa e tudo pode acontecer em três corridas.”
 
Entrevista cortesia da Repsol Media Service

Tags:
MotoGP, 2014, MOTUL GRAND PRIX OF JAPAN, Marc Marquez, Repsol Honda Team

Outras actualizações que o podem interessar ›