Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Comissão de Grandes Prémios anuncia actualizações no Regulamento Desportivo

Comissão de Grandes Prémios anuncia actualizações no Regulamento Desportivo

A Comissão de Grandes Prémios, composta por Carmelo Ezpeleta (Dorna, Presidente), Ignacio Verneda (FIM, CEO), Herve Poncharal (IRTA) e Takanao Tsubouchi (MSMA) na presença de  Javier Alonso (Dorna) e Mike Trimby (IRTA, Secretário da reunião), numa reunião levada a cabo a 8 de Novembro de 2014 em Valência, tomou as seguintes decisões:

Regulamento Desportivo – Com efeitos em 2015
 
Pilotos ou outras pessoas a usarem scooters para conhecerem a pista têm de usar capacete.
 
O uso de motos de outras disciplinas (motocross, enduro, supermoto, etc.) pode ser permitido para conhecimento da pista fora dos eventos, sem restrições.
 
Equipas nas classes de Moto3 e Moto2, a testar em qualquer um dos seus circuitos designados, não podem usar um piloto contratado de outra equipa na mesma classe.
 
Numa situação em que um piloto antecipe a partida com um ligeiro movimento mas depois pare, e que esteja estacionário quando as luzes vermelhas se apagam, a Direcção de Corrida terá de avaliar se ouve, ou não, uma vantagem para o piloto e se há que aplicar penalização.
 
Quando se considera que os pilotos excederam os limites da pista durante a corrida então a Direcção de Corrida decidirá que penalização será aplicada. (A perda automática de posição deixou de ser a única penalização possível).
 
Quando um grupo de pilotos está a ser dobrado e a bandeira azul é apresentada não pode haver qualquer troca de posições no grupo de pilotos até que tenham sido dobrados.
 
Regulamento Técnico – Com efeitos em 2015
 
Classes de Moto3 e Moto2
 
Os motores da classe de Moto3 são distribuídos aleatoriamente durante a época em três conjuntos diferentes. Para garantir que os motores em diferentes conjuntos, do mesmo construtor, são de especificações idênticas, um motor será seleccionado ao acaso em cada distribuição e usado como referência para verificação ao acaso de motores de subsequentes distribuições.
 
As equipas da classe de Moto3 já foram autorizadas a usar os chassis de 2015 em 2015, em vez de terem de comprar novos chassis. Contudo, para evitar qualquer desvantagem pela utilização de componentes de especificação mais elevada, que não faça parte dos pacotes de chassis de 2015, foi decidido que qualquer equipa que aproveite esta opção só pode usar os pacotes de suspensão frontal e traseira padrão, como fornecido no chassis de 2015.
 
A temperatura do combustível usado nas máquinas das classes de Moto3 e Moto2 não pode ser reduzida artificialmente. O combustível tem de estar à temperatura ambiente, como definida pelo Director Técnico.
 
A Dell’Orto foi a fornecedora exclusiva de centralinas na classe de Moto3 durante os três primeiros anos da categoria. Tendo por base a boa experiência com a Dell’Orto e os conhecimentos ganhos pelo Campeonato e equipas no que toca a afinações e recolha de dados, foi decidido renovar o contrato com a Dell’Orto por mais três anos. Isto também nos vai permitir continuar com o actual stock de produto.
 
Classe de MotoGP
 
Os detalhes do procedimento para o controlo técnico dos motores da classe de MotoGP foi confirmado. Os motores da classe de MotoGP podem ter de ser desmontados para verificação pelo Director Técnico. Contudo, a equipa pode depois reconstruir esse motor, usando novas peças, e o motor pode depois ser usado pela duração da sua vida normal, determinada como sendo de 3.600 km.
 
Outros Assuntos
 
O Grande Prémio de Indianápolis foi galardoado com o prémio Melhor Grande Prémio 2014.
 
Uma versão actualizada com regularidade dos Regulamentos de Grandes Prémios FIM, na qual consta o texto detalhado das alterações ao regulamento, pode ser consultada em:
 
Tags:
MotoGP, 2015

Outras actualizações que o podem interessar ›