Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Radiografia das quedas do Mundial de 2014

Radiografia das quedas do Mundial de 2014

As quedas são o “lado escuro” da competição e todas as que ocorrem ao longo da temporada ficam registadas e acabam por se transformar em estatísticas e também em dados para estudar com o objectivo de melhorar a segurança do Campeonato. Aqui trazemos-lhe alguns dos números da época que terminou na semana passada em Valência.

Num campeonato onde tudo o que se passa em pista é analisado em detalhe e medido à milésima, há ainda os registos de todos os acidentes, que final do ano são reunidos num relatório detalhado elaborado pela organização do MotoGP™ e do qual constam todas as quedas por categoria, piloto, circuito e sessão.
 
Assim, vemos que nos 18 Grandes Prémios de 2014 se registou um total de 981 quedas, más 118 que em 2013.
 
Por categorias, o MotoGP™ apresenta um total de 206 quedas (61 em corrida), a Moto2™ 408 (134 em corrida) e a Moto3™ 367 (140 em corrida).
 
O Campeão do Mundo de MotoGP™ Marc Márquez somou 11 quedas este ano e melhora as estatísticas pessoais em relação à primeira campanha na categoria rainha, em que foi ao chão por 15 vezes. Quem leva os louros para casa no MotoGP™ é o britânico Bradley Smith, que foi ao chão por 16 vezes – um número que faz dele o oitavo da tabela absoluta de acidentes e onde o domínio é dos pilotos da Moto2™ e Moto3™.
 
Ser estreante paga-se com muitas quedas e o colega de equipa de Smith na Monster Yamaha Tech3, Pol Espargaró, foi ao tapete por 14 vezes no ano de estreia. O mesmo total que Álvaro Bautista, um veterano da categoria rainha que vê assim plasmadas as dificuldades que teve este ano para tirar o máximo partido da Honda RC213V; igual número tem Andrea Iannone, da Prama Racing, que viu penalizada a sua pilotagem muitas vezes agressiva com quedas.
 
Jorge Lorenzo cai pouco e cada vez menos: 5 idas ao chão em 2011 e 2012, 3 em 2013 e 2 em 2014.
 
O piloto que somou mais acidentes em 2014 foi Sam Lowes, Campeão do Mundo de Supersport de 2013 e estreante de Moto2™ este ano. O britânico da Speed Up totalizou 25 quedas ao longo da época. Na categoria intermédia seguem-no não muito longe Axel Pons, com 22, e Sandro Cortese, com 20. 
 
A liderança das quedas da Moto3™ também está a cargo de um estreante, o jovem checo Karel Hanika, da Red Bull KTM Ajo, vítima de 24 acidentes. Na sua terceira temporada na categoria, Niccolò Antonelli continua entre os que mais vão ao chão, com 15 quedas em 2012, 18 em 2013 e 22 em 2014.
 
Lamentavelmente, há que admitir que das quedas ninguém se livra; não há um piloto com 0 quedas, mas parece que é possível aprender a limitar os danos, como é o caso do Campeão do Mundo de Moto2™ deste ano, Tito Rabat, que foi ao chão seis vezes (depois de 10 em 2013, 7 em 2012 e 11 em 2011).
 
O circuito de Misano foi, com grande margem, o que mais quedas protagonizou este ano, com 109 acidentes, seguido de Motegi e Phillip Island, ambos com 71. Um primeiro dia de treinos com água e um asfalto muito escorregadio contribuíram para aumentar o dado negativo da pista do Adriático, que em 2013 registou 66 acidentes durante o fim‑de‑semana de Grande Prémio. Boa parte dos acidentes deste ano tiveram em lugar em dois pontos do traçado: Curva 4 com 21 quedas e a Curva 6 com 20, locais de eleição para ultrapassagens ou mudanças de ângulo especialmente técnicos.

Tags:
MotoGP, 2014

Outras actualizações que o podem interessar ›