Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Cructhlow desejoso pelo primeiro teste de 2015

Cructhlow desejoso pelo primeiro teste de 2015

Cal Crutchlow tem treinado nos Estados Unidos ao longo da paragem de Inverno para se preparar para a próxima época.

O britânico fez um ponto da situação com o motogp.com em relação ao que tem feito nos últimos três meses, comentando: “Foi operado para retirar a placa da clavícula imediatamente após o último teste, em Novembro. Tive alguns problemas no ombro no ano passado com artrite, pelo que tive de a retirar. Ainda tenho muitas dores, mas a longo prazo estarei melhor. Assim, estou apenas a tentar ganhar alguma força nesse ombro em preparação para a época.”

Ele continuou: “Como sempre, a Lucy e eu fomos para o Estados Unidos para o Inverno. O que mais fiz foi andar de bicicleta, isto porque gosto de estar um tempo longe das motos. É claro que é normal não ser o mais rápido ou estar logo ao ritmo quando chegar ao primeiro teste em Sepang porque estive muito tempo afastado da moto. Fiz algum motocross, não muito; até agora devo ter feito 4.500 km na bicicleta, mesmo como gosto! Parece ser o melhor tipo de treino para mim e para o funcionamento do meu corpo; perco algum peso e não causa impacto nos joelhos, como correr. Tive um pouco de tendinite no joelho, mas agora regressei à Ilha de Man e estou muito melhor. Isso não me afectará na moto, só afectou um pouco o meu ciclismo.”

Antevendo o primeiro ensaio do ano em Sepang, com início a 4 de Fevereiro, Crutchlow afirmou: “Uso sempre o primeiro teste para me familiarizar. É claro que quando estiver adaptado poderei começar a dar boas informações à equipa, mas gosto de construir essa familiaridade ao longo dos três dias. Temos de voltar a habituar a nossa mente a andar a 320 km/h outra vez!”

Sobre o desafio de rodar com nova equipa este ano e sobre a adaptação à Honda RC213V Crutchlow mostrou-se motivado pelo árduo trabalho que tem pela frente. Questionado sobre o quão próximo espera que o seu pacote técnico esteja do dos pilotos de fábrica da Repsol Honda ao longo da temporada, o antigo piloto da Yamaha e da Ducati afirmou: “A minha prioridade é garantir que estou competitivo e o mais perto possível dos da frente, depois disso veremos.”

“A moto vai ter especificação de fábrica. Nunca vamos ter exactamente o que o Dani e o Marc têm, eles é que são os pilotos de fábrica, mas ficaremos bastante perto em termos de material, é muito semelhante a quando estava na Tech3. Estamos sempre um passo atrás. Mas estou entusiasmado por ver o que a Honda vai trazer e eles trazem sempre uma moto fantástica e competitiva.”

No que toca à chegada de Jack Miller à categoria rainha em 2015, Crutchlow acredita que partilhar a garagem com o jovem australiano será uma experiência interessante – mesmo que se possam esperar algumas partidas entre ambos.

“O Jack vai ser uma força a ter em linha de conta nos próximos ano no MotoGP, mas é um grande salto para ele e estou desejoso por ver como se adapta,” disse Crutchlow. “Não lhe vou dar muitas dicas porque acho que consegue lá chegar por ele e já teve mais tempo numa Honda de MotoGP que eu. Sabemos de que é capaz e estou certo que vamos ter um bom ambiente na nossa garagem. Vou pensar em algumas partidas para lhe pregar, mas primeiro temos de lhe rapar a barbicha!”

Tags:
MotoGP, 2015, Cal Crutchlow, LCR Honda

Acompanhe a história ›

Outras actualizações que o podem interessar ›