Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Aurin: "A chave para Pedrosa é ser um pouco mais agressivo"

Aurin: 'A chave para Pedrosa é ser um pouco mais agressivo'

Após a conclusão do teste Sepang 1 o Chefe de Equipa de Dani Pedorsa, Ramon Aurin, falou com o motogp.com sobre temporada de 2015.

Já começaste a trabalhar com o Dani Pedrosa, como correram as coisas até ao momento?

“Depois de três anos sem trabalhar como chefe de equipa há sempre algo que nos escapa, mas espero que estejamos todos no bom caminho quando chegarmos ao Qatar. Tal como os pilotos, só preciso de um pouco de prática.”

O teu trabalho mudou muito?

“No ano passado tinha um papel mais técnico, enquanto agora é mais de coordenação e tomada de decisão para afinar a moto. Há dias em que estarei mais do lado técnico e outros em que estarei mais do lado da tomada de decisão, ou de coordenador, mas estou contente por estar de volta e vou enfrentar as coisas conforme forem surgindo.”

Trabalhaste como chefe de equipa com o Andrea Dovizioso. Tens mais pressão agora?


“Talvez tenha tido muita pressão no primeiro ano com o Div porque é um papel que temos de aprender. O Dani é um piloto que luta sempre pelo título. Para manter esta dinâmica há que fazer um bom trabalho.”

 

Como surgiu a oferta de trabalho? Partiu do Dani, ou directamente da Honda?


“Devido às circunstâncias, o Mike Leitner decidiu sair e foram avaliadas várias possibilidades. Há muito que sou um homem Honda, fiz este trabalho com o Dovi e penso que ele ficou contente. Queria saber se o Dani concordava porque a relação com o piloto é muito importante. Ele disse que estava muito contente com a decisão e aqui estamos.”

Crês que o Dani vai ser um candidato ao título este ano?


“A chave para o Dani ser campeão é ser um pouco mais agressivo. No ano passado ele fez boas corridas a partir de meio das provas até final. Os regulamentos ajudaram os pilotos Open a estarem à frente nas primeiras voltas; ele não é muito agressivo e sendo mais leve é complicado para ele aquecer os pneus no início. Ele precisa apenas de quatro ou cinco voltas para estar no ritmo quando os outros chegam lá na segunda. É isso que temos de melhorar, tem de ser mais agressivo de início, pelo que não sei se vai ganhar, mas estou certo que teremos mais possibilidades.”

Tags:
MotoGP, 2015, SEPANG MOTOGP™ OFFICIAL TEST, Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Acompanhe a história ›

Outras actualizações que o podem interessar ›

motogp.com
Yamaha termina Sepang 1 com sucesso

2 anos ago

Yamaha termina Sepang 1 com sucesso