Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Dovizioso dá continuidade ao domínio Ducati no Qatar

Dovizioso dá continuidade ao domínio Ducati no Qatar

Andrea Dovizioso assinou o melhor tempo da segunda noite de testes de MotoGP™ no Qatar, com o Top 14 separado por menos de um segundo.

Foi com céu nublado que as equipas chegaram hoje ao traçado de Losail, com a maioria dos pilotos a optar por esperar até que as luzes fossem acesas para só então ir para a pista.

O pó no circuito que tinha afectado os pilotos durante a noite de ontem parece não se ter revelado problema tão grande hoje graças a toda a actividade que já houve em pista e Marc Márquez não tardou a marcar o ritmo no início da jornada com a melhor marca do teste até ao momento.

Márquez trocou galhardetes com Andrea Iannone e Andrea Dovizioso, da Ducati, no que respeita aos melhores tempos ao longo da noite, mas foi Dovi com a GP15 quem acabou por levar a melhor com um registo de 1:54,907s.

O italiano não só é o mais rápido do teste até ao momento, como superou já em 0,2s o recorde do traçado assinado por Casey Stoner em 2008, isto além de ser o único a ter entrado no segundo 54.

A Ducati Team trouxe novo sistema de escape para os pilotos e voltou a introduzir as aletas na Demosedici pela primeira vez desde 2010. O construtor italiano esteve perto de conseguir nova dobradinha, mas Iannone terminou em terceiro, a 0,197s da frente e a 0,013s do segundo posto de Márquez.

O Campeão do Mundo de MotoGP™ liderou a tabela de tempos durante a maior parte da noite com a montada da Repsol Honda, mas no final quedou-se a 0,184s de Dovi, com o colega de equipa Dani Pedrosa em sexto. Márquez procurou a melhor afinação de corrida para a sua moto, enquanto Pedrosa avaliou novo garfo frontal para a RC213V.

Após uma primeira noite de testes difícil, em que ambos se queixaram de não terem boas sensações no circuito de Losail, Jorge Lorenzo, da Movistar Yamaha, melhorou o tempo em três décimos para terminar em quarto. O colega de equipa Valentino Rossi assinou a melhor volta pessoal ao final da noite, retirando quase meio segundo ao registo de ontem e terminando em quinto (+0,674s), apenas um milésimo mais lesto que Pedrosa.

Cal Crutchlow voltou a ser o melhor entre os pilotos satélite e logrou mais uma prestação impressionante aos comandos da CWM LCR Honda para terminar em sétimo (+0,717s). O tempo do britânico também surgiu ao final da noite, isto apesar de uma queda. O colega de equipa e estreante Jack Miller melhorou em quase meio segundo para terminar em 21º, a 1,851s da frente.

Em 8º, a apenas 0,024s do compatriota Crutchlow, ficou Bradley Smith com a máquina da Monster Tech 3 Yamaha. O britânico testou diferente braço oscilante, voltando a superar o colega de equipa Pol Espargaró, que foi nono a um centésimo de segundo.

Karel Abraham melhorou o registo de ontem em quase um segundo para voltar a ser o melhor entre a armada Open com uma marca de 1:55,765s, o bastante para o décimo lugar.

Yonny Hernández colocou a Pramac Ducati na 11ª posição, quase um segundo mais rápido que o colega de equipa Danilo Petrucci, que continua a recuperar confiança depois da lesão no ombro.

Aleix Espargaró e Maverick Viñales, do Team Suzuki Ecstar, levaram a GSX-RR aos 12ª e 14ª postos, respectivamente, mas ambos tiveram dificuldades para melhorarem as marcas pessoais face à primeira noite de trabalho enquanto deram continuidade ao trabalho de afinação da centralina.

Scott Redding, da Estrella Galicia 0,0 Marc VDS Racing Honda, voltou a terminar a um segundo da frente, em 13º (+0,896s); o britânico foi um dos mais atarefados ao completar 50 voltas. Ele foi também um dos poucos pilotos a completar uma simulação de corrida com uma tirada de 16 voltas ao final da noite.

Héctor Barberá, da Avintia Racing Ducati, foi 15º, com Nicky Hayden, aos comandos da Open RC213V-RS da Drive M7 Aspar, em 16º. O colega de equipa do americano, Eugene Laverty, ficou a mais 0,238s de distância, em 18º, com Mike de Meglio, da Avintia Racing Ducati, a ficar entre ambos.

Stefan Bradl sofreu queda ao início do trabalho, mas saiu ileso do contratempo e terminou em 20º, à frente de Danilo Petrucci, da Pramac Ducati, e do colega de equipa na Athina Forward Racing, Loris Baz, 23º (+2,029s). 

Alex de Angelis, da Octo Ioda Racing, colocou a ART Open entre as duas máquinas de fábrica da Aprilia Racing Team Gresini RS-GP, com Álvaro Bautista em 24º e Marco Melandri em 26º, a fechar a tabela de tempos.

A última noite de testes tem início a partir das 16 horas locais de segunda-feira. Veja aqui os resultados completos.

Tags:
MotoGP, 2015, QATAR MOTOGP™ OFFICIAL TEST

Outras actualizações que o podem interessar ›