Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Ducati volta a impressionar

Ducati volta a impressionar

Andrea Dovizioso arrebatou a pole aos pilotos oficiais da Honda no Commercial Bank Grande Prémio do Qatar.

A primeira Qualificação de 2015 do Campeonato do Mundo de MotoGP™ resultou numa primeira linha da grelha de partida diferente do que se esperava depois do domínio dos pilotos Honda durante os dois dias de treinos livres.

Andrea Dovizioso conquistou a pole no Circuito Internacional de Losail, palco onde a marca italiana causou sensação no último teste de pré-época com a recém estreada Desmosedici GP15. Na altura, até o Campeão do Mundo não deu muita importância ao feito, se bem que a formação oficial da marca italiana assegurou que o tempo tinha conseguido sem fazer uso do pneu super macio que o regulamento lhes permite usar.

A Ducati começou a primeira noite no Qatar com um rendimento estranho que foi melhorando na sexta-feira. A equipa não podia estar mais satisfeita, mas entre uma pole position e uma vitória em corrida há uma grande diferença: “Ainda é tudo uma incógnita para nós porque ainda não fizemos uma corrida com esta moto,” declarou Dovizioso no parque fechado. “Chegámos à Q2 com boas sensações e conseguimos a volta rápida graças ao pneu macio.”

Atrás de Dovizioso terminou Dani Pedrosa, que também superou Márquez na luta pela melhor posição da grelha: “O importante decidia-se hoje,” confessava o catalão. “Tive boas sensações; com o segundo pneu havia algo que não me permitiu rodar como queria, mas hoje estou na primeira fila e com o meu melhor tempo neste circuito. Não sei se o Dovi será um rival para a corrida amanhã, há que ver.”

A fechar a primeira linha da grelha estará o Campeão do Mundo que, longe de procurar uma desculpa rebuscada, foi bem claro nas suas declarações após desmontar da RC213V: “Não fiz bem a volta, talvez estivesse com vontade a mais, mas estou contente por termos bom ritmo. Creio que para a corrida o Dovizioso será mais perigoso que o Pedrosa, pelo que seguramente vamos ter uma corrida emocionante.”

Apesar da Ducati ter demonstrado um rendimento impressionante com a nova moto, tal parece não convencer os pilotos da marca nipónica. Para eles, o facto dos italianos contarem com um pneu exclusivo faz com que pensem que com uma borracha mais dura, necessária para serem eficazes ao longo da distância de corrida, as coisas podiam ser diferentes. Mas essa incógnita só será desfeita amanhã, depois da corrida.

A segunda linha da grelha deixa, por seu lado, outras conclusões. O quarto posto de Andrea Iannone, com a segunda GP15, confirma o bom rendimento das máquinas de Borgo Panigale. Mais atrás, em quinto com a GP14.2, Yonny Hernández vê assim a porta aberta ao sonho, isto apesar de ainda estar a fazer fisioterapia à lesão no ombro.

A Yamaha não esteve em bom plano nos livres, e o mesmo acabou por acontecer com os dois pilotos de fábrica na Qualificação, com Jorge Lorenzo a terminar em sexto e Valentino Rossi em oitavo. Isto mesmo depois de terem estreado na pré-época a tão esperada transmissão seamless de rendimento completo. Contudo, não só continuam sem alcançar o nível da Honda, como também parece que agora a Ducati lhes passou à frente. Certamente esta não será uma época fácil para a marca dos três diapasões.

De quem se esperava mais nesta Q2 era da Suzki, isto porque Aleix Espargaró foi décimo, à frente do irmão Pol. Enquanto isso, o 12º posto foi para Cal Crutchlow que, depois de ter causado sensação com os positivos resultados dos livres, hoje viu o trabalho afectado por queda na Q2.

Apesar dos resultados da Q2 não se terem revelado tão renhidos como o esperado após a FP3, os 12 primeiros continuam a rodar separados por um segundo. Será o ritmo da corrida que vai determinar onde cada um termina amanhã.

Tags:
MotoGP, 2015, COMMERCIAL BANK GRAND PRIX OF QATAR, Q2, Marc Marquez, Andrea Dovizioso, Dani Pedrosa

Outras actualizações que o podem interessar ›

motogp.com
Masbou estreia-se na pole

2 anos ago

Masbou estreia-se na pole