Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Masbou começa ano a vencer desde a pole no Qatar

Masbou começa ano a vencer desde a pole no Qatar

Alexis Masbou levou de vencida a emocionante corrida de abertura do Campeonato do Mundo de Moto3™ esta noite no Qatar.

O gaulês da Saxoprint RTG não podia ter começado o ano de melhor forma ao vencer a corrida de Moto3™ no Circuito Internacional de Losail desde a pole, com 0,027s de margem sobre Enea Bastianini (Gresini Racing Team Moto3) e com Danny Kent (Leopard Racing) a fechar o pódio a 0,142s da frente. “Estou satisfeito com o resultado,” admitiu Kent, enquanto Bastianini confessou estar “muito contente depois de um fim-de-semana difícil.”

Mas desenganem-se aqueles que pensam que o desfecho foi fácil. Como é habitual na categoria mais baixa do Campeonato do Mundo, as lutas ao longo das 18 voltas foram fortíssimas e vividas ao longo de todo o pelotão, confirmando apenas o que os resultados da qualificação da noite de sábado deixavam antever.

O francês até fez boa partida, mas foi Niccolò Antonelli (Ongetta-Rivacold) que assumiu a liderança ao cabo da primeira volta, com Brad Binder (Red Bull KTM Ajo) literalmente a voar desde a 13ª posição da grelha para o terceiro posto e assumir depois a liderança.

Pior sorte teve Miguel Oliveira. O português, que tinha sido o melhor piloto da Red Bull KTM Ajo na qualificação com a oitava posição e que liderou o Warm Up, foi tocado na Curva 1 por Francesco Bagnaia (Mapfre Mahindra Aspar) quando o tentava passar por fora. Oliveira ainda conseguiu voltar à corrida, em último, e recuperou muitas posições, mas acabou por terminar a corrida na 16ª posição depois de assinar a terceira melhor volta, o que atesta bem do andamento e potencial do luso nesta primeira jornada da época. “Acredito que podia ter lutado pela vitória se as coisas tivessem corrido bem e estou triste por não ter somado pontos,” disse Oliveira.

Enquanto isso, a luta na frente do pelotão era intensa. Kent chegou a ser um dos líderes nos momentos iniciais e depois também já perto do final, mas além dele Bagnaia, o colega de equipa do britânico, Efrén Vázquez, e o estreante gaulês Fabio Quartararo (Estrella Galicia 0,0) também chegaram a ocupar a primeira posição.

Contudo, é como é usual na Moto3™, as decisões surgiram apenas na última curva. Depois de uma derradeira volta absolutamente emocionante, com pilotos a ganharem e perderem várias posições ao longo dos 5,380 km do circuito de Losail, Masbou cronometrou à perfeição a saída do cone de ar de Bastianini para disparar para a bandeira de xadrez e, assim, arrancar o ano a vencer por escassa margem. “Assustei-me na última volta porque não estava nos cinco primeiros. Fui muito forte na T3 e T4. No final não pensei que o pudesse fazer! Fiquei atrás do Efrén e do Enea e esperei pela recta,” explicou, aliviado, Masbou.

Vázquez e John McPhee (Saxoprint RTG) completaram a lista dos cinco primeiros totalmente dominada pela Honda. Aliás, a marca nipónica garantiu a presença de sete motos entre os dez primeiros, com a primeira não Honda a ser a Husqvarna de Isaac Viñales (Husqvarna Facotry Laglisse) em sexto, seguido de Quartararo. “Correu muito bem e rodámos no grupo da frente até final. Aprendi muito; tenho de estar tranquilo nas últimas voltas e lutar até ao fim,” reconheceu o jovem francês.

Em oitavo, Antonelli foi a última Honda do Top 10, seguido das Mahindra de Bagnaia e a KTM do colega de equipa de Oliveira, Brad Binder. “Dei o meu melhor, mas na última volta o Quartararo tocou-me e alarguei a trajectória. Podíamos ter terminado no pódio hoje,” lamentou Bagnaia no final.

Tags:
Moto3, 2015, COMMERCIAL BANK GRAND PRIX OF QATAR, Danny Kent, Alexis Masbou, Enea Bastianini

Outras actualizações que o podem interessar ›