Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Red Bull Grande Prémio das Américas… pode ser ainda melhor?

Red Bull Grande Prémio das Américas… pode ser ainda melhor?

O Campeonato do Mundo de MotoGP™ de 2015 prossegue no Circuito das Américas após emocionante arranque no Qatar.

São muitos os motivos de conversa enquanto o paddock da categoria rainha se prepara para correr nos 5,5 km da pista do Texas e depois do emocionante arranque de época no Qatar, ninguém faz apostas. Poderá a Repsol Honda responder depois de duas dobradinhas consecutivas no COTA? Será Rossi capaz de repetir a prestação de há pouco mais de uma semana? Ou conseguirá a Ducati a tão desejada primeira vitória desde Casey Stoner?

A marca italiana confirmou que “está de volta” no Qatar, com a GP15 projectada por Luigi Dall’Igna a garantir as segunda e terceira posições do pódio em Losail pelas mãos de Dovizioso e Iannone, respectivamente, e agora é certo que ambos estão desejosos por mais. E com este a ser o traçado onde Dovizioso se estreou no pódio no ano passado com marca de Bolonha, a motivação será ainda maior. Contudo, a Ducati Team e a Pramac Racing, com máquinas de fábrica, verão o limite de combustível reduzido para 22 litros na sequência dos resultados do Qatar.

Valentino Rossi foi o centro das atenções da imprensa mundial após fantástica vitória sob as luzes artificiais do Circuito Internacional de Rossi. Poderá ele apresentar-se ao mesmo nível em Austin? Não há dúvidas de que o nove vezes Campeão do Mundo continua com a mesma fome de sucesso que aquando da estreia no Mundial há 20 anos, se bem que o melhor resultado do italiano no Texas foi o 6º lugar de 2013. O seu colega de equipa Jorge Lorenzo teve de se contentar com o quarto lugar no Qatar na sequência de problemas com o capacete a arruinarem a possibilidade de triunfo. O espanhol chegou mesmo a liderar a corrida e lutou taco a taco com a Ducati até ter os problemas, mas acredita que pode bater-se pelo triunfo em Austin, onde tem como melhor resultado um terceiro lugar.

Marc Márquez, da Repsol Honda, iniciou a defesa do ceptro da pior forma possível no Qatar ao alargar a trajectória na primeira curva, caindo para último antes de recuperar até ao quinto posto final. Contudo, depois de ter ganho as duas corridas já disputadas em Austin, o espanhol deverá estar confiante para esta jornada. Na verdade, no ano passado Márquez deixou os Estados Unidos depois de garantir o melhor registo em todas as sessões de livres, qualificação, ter liderado todas as voltas a caminho da vitória e ter estabelecido no recorde do traçado.

Dani Pedrosa confirmou que vai falhar os GPs de Austin e Argentina devido a problemas de síndrome compartimental que revelou após a corrida do Qatar e que o têm afectado desde o ano passado. O espanhol vai ser substituído pelo piloto de testes da HRC, Hiroshi Aoyama, que já rodou no lugar de Pedrosa no Dutch TT Assen de 2011. Aoyama conta com 64 corridas feitas na classe de MotoGP™ e terminou em 12º no ano passado em Austin aos comandos da RCV1000R da Aspar Honda.

A Suzuki regressou à categoria rainha no Qatar e, como seria de esperar, deparou-se com alguns problemas, com Aleix Espargaró e Maverick Viñales a sentirem falta de potência. O Team Suzuki Ecstar nunca correu no COTA, já que a pista entrou para o calendário do MotoGP™ depois do construtor nipónico ter deixado a classe em 2011.

Cal Crutchlow, da CWM LCR Honda, foi o melhor entre os pilotos satélite na primeira ronda, terminando com 0,5s de vantagem sobre o compatriota Bradley Smith, da Monster Tech3 Yamaha. Crutchlow caiu em Austin no ano passado, mas em 2013 assinou sólido 4º lugar. Os dois parecem estar apostados numa batalha ao longo de toda a temporada e esta jornada deverá voltar a ser quente entre os dois já que no ano passado Smith foi 5º no COTA. O colega de equipa do inglês, Pol Espargaró, também deverá entrar na luta depois de ter perdido para Smith no Qatar por apenas 0,1s.

De quem se espera mais é de Scott Redding com a Honda RC213V da Estrella Galicia 0,0 Marc VDS depois da queda no ano passado ao cabo de voltas ao COTA, mas também não nos podemos esquecer das máquinas da Pramac Racing de Yonny Hernández e Danilo Petrucci, que podem voltar a apresentar boas prestações na qualificação graças ao pneu mais macio.

Héctor Barberá, da Avintia Ducati, foi o melhor piloto Open em Losail, mas deverá ter tarefa difícil pela frente na luta com Stefan Bradl, da Athina Forward Racing; o germânico foi quarto em Austin no ano passado.

Jack Miller, da CWM LCR Honda, espera melhorar a sorte depois da queda na estreia no MotoGP™ no Qatar e já saboreou a vitória no ano passado no Texas, na corrida da Moto3™.

O Red Bull Grande Prémio das Américas disputa-se de 10 a 12 de Abril, com treinos na sexta-feira, qualificação no sábado e corrida no domingo.

Pode acompanhar toda a acção no motogp.com.

Tags:
MotoGP, 2015, RED BULL GRAND PRIX OF THE AMERICAS

Outras actualizações que o podem interessar ›