Compra de bilhetes
VideoPass purchase

E vão três para Márquez no COTA

E vão três para Márquez no COTA

Marc Márquez voltou a mostrar todo o seu brilhantismo e poder no Circuito das Américas ao garantir o pleno de três vitórias em Austin.

Num fim‑de‑semana de MotoGP em que houve de tudo na categoria rainha – treino atrasado pelo tempo, treino interrompido por um cão errante, corrida atrasa por derrame de água na pista – houve também o brilhante regresso do Campeão do Mundo de MotoGP™ às vitórias.

Após um início de defesa do ceptro menos positivo com o quinto lugar no Qatar por um erro do próprio, Marc Márquez cedo mostrou ao que vinha nesta visita a Austin ao dominar todos os treinos livres, excepto o primeiro, que foi liderado por Andrea Dovizioso e a renascida Ducati GP15. Depois disso o piloto da Repsol Honda pulverizou o recorde da qualificação ao garantir mais uma pole position em 2:02,135s.

É certo que na partida se deixou bater por Dovizioso e que tal chegou a dar motivos para pensar se seria já nesta segunda jornada da época que se veria a marca de Bolonha no mais alto do pódio, isto apesar do COTA ser território de Márquez, mas a verdade é que o catalão nunca largou a roda do italiano e à quinta volta passou para a posição que parece ser sua por direito absoluto no Texas: a primeira.

A partir daí foi o já tradicional espectáculo de Márquez, que começou a isolar-se tranquilamente na frente, sempre com um ritmo forte, para garantir o terceiro triunfo consecutivo no Circuito das Américas, e o primeiro do ano, de forma incontestável.

Enquanto isso, atrás de si desenrolava-se animada luta pelas restantes posições do pódio. Com Jorge Lorenzo, que se debateu com bronquite ao longo do fim‑de‑semana, fora deste particular desde o início, Dovizioso, Valentino Rossi e Andrea Iannone reeditavam o despique transalpino de há duas semanas. E enquanto Iannone se via de novo batido pelos dois, Dovi aplicava-se a fundo para, desta feita, se impor ao “The Doctor” com mais um sólido segundo posto. Isto não sem que antes do final os dois ainda tivessem estado perto de se tocarem, o que demonstra apenas o quão emocionante foi a batalha.

Já Iannone acabava por perder terreno e ver Lorenzo colar-se à sua roda. E se há duas semanas conseguiu levar a melhor sobre o espanhol, desta feita o italiano viu-se batido por Lorenzo, que depois de uma qualificação em quarto se viu desde muito cedo arredado da frente da corrida e teve de se contentar, de novo, com o quarto posto.

No combate dos privados desta feita foi Bradley Smith (Monster Yamaha Tech3) quem levou a melhor sobre Cal Crutchlow (CWM LCR Honda) a terminarem em sexto e sétimo, respectivamente. Mas se no Qatar o homem da Honda impôs-se com cerca de seis décimos de vantagem, neste domingo o jovem da Yamaha respondeu com seis… segundos de margem!

Nota ainda para a muito positiva prestação da Suzuki. De regresso ao mundial, a marca nipónica viu os seus dois pilotos do Team Suzuki Ecstar melhorarem bastante, com ambos a terminarem nos dez primeiros, isto depois de ambos terem também marcado presença na Q2. O mais experiente da dupla, Pol Espargaró, voltou a ser o melhor ao terminar em 8º (três furos acima do conseguido no Qatar), enquanto o estreante da categoria rainha Maverick Viñales apresentou uma significativa melhoria da 14ª posição de Losail para a nona neste domingo.

Contudo, a corrida deste domingo serviu para comprovar que o Campeonato do Mundo de MotoGP™ ganhou nova vida: não só a Ducati dá mostras de ter voltado à frente para ficar – a redução do limite de combustível para 22 litros parece não ter causado qualquer problema à marca – como Rossi dá a entender que está mais vivo que nunca e que, em conjunto com Dovizioso, promete levar a luta pelo campeonato até ao fim.

Aliás, há muito que não se via uma classificação geral de MotoGP™ liderada por alguém que não um espanhol… por alguém que não Marc Márquez. Valentino Rossi mantém-se na frente, com quatro pontos de vantagem sobre Andrea Dovizioso, tantos quantos este soma a mais que Marc Márquez, em terceiro. Mais longe surge Andrea Iannone, com 27, enquanto Jorge Lorenzo segue colado em quinto, com menos um ponto.

E agora que esta semana passe a correr, pois é praticamente certo que ninguém vai conseguir esperar pelo que promete ser mais uma jornada absolutamente emocionante no circuito de Termas de Río Hondo dentro de oito dias.

Tags:
MotoGP, 2015, RED BULL GRAND PRIX OF THE AMERICAS, RAC, Marc Marquez, Andrea Dovizioso, Valentino Rossi

Outras actualizações que o podem interessar ›