Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Jornada vitoriosa e de liderança do Campeonato para Kent

Jornada vitoriosa e de liderança do Campeonato para Kent

Danny Kent esteve imperial no fim‑de‑semana de Austin e foi imperador da corrida de Moto3™ com mais de 8,5s de vantagem na vitória.

O tempo sempre prometeu fazer das suas no Red Bull Grande Prémio das Américas e não falhou, com o Warm Up a ser atrasado devido ao nevoeiro e depois com a corrida a ser disputada numa pista com várias zonas molhadas, o que se revelou fatal para alguns pilotos.

Contudo, Kent esteve num mundo totalmente à parte. Após má partida, que o fez chegar a rodar em 5º, o britânico fez uso de toda a sua mestria para vencer a corrida com uns impressionantes 8,5s de vantagem. É certo que na qualificação tinha terminado com mais de 0,5s de vantagem, mas problemas com a Honda no Warm Up impediram-no de rodar. O problema voltou a dar um ar da sua graça antes da partida, mas nada abalou o homem da Leopard Racing, que assim que chegou à liderança na 4ª volta não mais parou… Ninguém o parou! “Estivemos muito fortes este fim‑de‑semana,” disse no final. E esteve!

Enquanto isso, atrás dele desenrolava-se interessante luta pelas restantes posições do pódio com vários pilotos a darem tudo por tudo, como é tradicional na categoria mais baixa. Miguel Oliveira era um deles. Depois do nulo no Qatar o português tinha de pontuar, tinha de terminar, era o objectivo principal traçado pelo jovem da Red Bull KTM Ajo que achava mesma que podia terminar no pódio.

E tinha ritmo para tal, mas de repente começou a perder terreno para dar por si em 10º. Não satisfeito começou a atacar, assinou a melhor volta da corrida e recuperou até terceiro, mas o ímpeto levou a perder a frente da moto na sinuosa sequência das Curvas 3 à 5 e assim passou de um dos favoritos ao triunfo a um dos desistentes na 11ª volta.

Sem Oliveira na luta pelo pódio, esta prosseguiu, agora Fabio Quartararo, Alexis Masbou, Efrén Vázquez, Enea Bastianini e Brad Binder. Inabalado pela inexperiência mundialista, o brilhante estreante gaulês de 15 anos da Estrella Galicia 0,0 rodou forte para superar tudo e todos, entre eles o vencedor da primeira corrida, Masbou, e estrear-se no pódio ao cabo de apenas duas corridas no Campeonato do Mundo, o que considerou ser “incrível”.

E enquanto o piloto da SAXOPRINT RTG completou a vitória no Qatar com um 16º posto após queda ao cair do pano, Vázquez, somava um meritório terceiro para dar à Leopard Racing a segunda presença no pódio de Austin. “A direcção certa,” dizia no final o único espanhol a subir ao pódio na categoria mais baixa.

Logo atrás, a mais dois décimos, terminava Bastianini, da Gresini Racing Team Moto3, que assim dava o pleno à Honda entre os quatro primeiros. Mais longe, a praticamente mais um segundo, surgia a primeira KTM, a Binder. O sul-africano colega de equipa de Oliveira voltava assim a ser o melhor piloto da Red Bull KTM Ajo, se bem que agora com uma franca melhoria face ao 10º posto conseguido no Qatar.

Pelo caminho, em grande parte devido às condições da pista que levaram à perda da frente das motos, ficaram ainda Tatsuki Suzuki (CIP), Francesco Bagnaia (Mapfre Team Mahindra), Jorge Navarro (Estrella Galicia 0,0), Jorge Martín (Mapfre Team Mahindra), Hiroki Ono (Leopard Racing), e os pilotos da Ognetta-Rivacold Jules Danilo e Darryn Binder.

Um total de 18 voltas emocionantes que acabaram mesmo por dar uma volta significativa ao Campeonato, agora com Kent na liderança com 41 pontos, seguido de Bastianini, com 33, e de Quartararo, com 29, tantos quantos Vázquez, enquanto Masbou desceu para quinto com o mesmo total de pontos com que chegou a Austin, 25.

Tags:
Moto3, 2015, RED BULL GRAND PRIX OF THE AMERICAS, RAC, Efren Vazquez, Fabio Quartararo, Danny Kent

Outras actualizações que o podem interessar ›