Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Primeira vitória de Zarco na Argentina

Primeira vitória de Zarco na Argentina

O francês conquistou a primeira vitória na categoria intermédia com demonstração de força psicológica.

O Campeonato do Mundo de Moto2™ deixou surpresas distintas no Grande Prémio Red Bull da Argentina, algumas muito positivas, outras nem tanto.

É inquestionável que o triunfo de Johann Zarco (Ajo Motorsport) nesta terceira corrida do ano é maior notícia da categoria deste domingo. O piloto deixa assim para trás três temporadas de resultados díspares na classe.

Até agora tinha estado no pódio em momentos distintos mas, como aconteceu quando lutava pelo último título de 125cc em 2011, por uma razão ou por outra faltava-lhe sempre algo que o impedia de converter o rendimento em vitória.

Desta feita não só o conseguiu, como demonstrou uma força mental que lhe faltou em outras ocasiões. Depois do segundo pódio do ano, Zarco é agora líder da classificação com 53 pontos, destacando-se assim do estreante Álex Rins (Páginas Amarillas HP 40).

O espanhol era o líder à chegada à Argentina graças à sua regularidade. Foi quarto na primeira corrida no Qatar, terceiro há uma semana em Austin e agora segundo no Termas de Río Hondo. Só por si uma demonstração de intenções muito clara por parte do humilde principiante.

A vitória de Zarco tirou a primeira posição da geral a Rins pela vantagem mínima que os separava antes da chegada à Argentina. De todas as formas, continua em segundo na classificação a quatro pontos do gaulês.

Agora Rins vai disputar a quarta corrida na categoria em Jerez, no GP bwin de Espanha. Atendendo à sua progressão, será ele capaz de se estrear a ganhar na Moto2™?

O mais baixo do pódio ficou a cargo de Sam Lowes (Speed Up Racing). O britânico voltou a estar entre os mais rápidos neste fim‑de‑semana, mas ao contrário do que já sucedeu por várias vezes este ano, aprendeu a assegurar um bom resultado em vez de arriscar tudo e perdê-lo com nova queda.

Pode só ter sido terceiro na Argentina, mas a cautela demonstrada com a decisão que tomou de não ir atrás de Rins quando o espanhol o superou poderá querer dizer que a partir de agora é um rival ainda mais perigoso, do tipo super rápido que é capaz de se conformar e esperar por uma oportunidade melhor.

O bom rendimento destes três deixa as coisas muito complicadas para o Campeão em título Tito Rabat (Estrella Galicia 0,0 Marc VDS), que na corrida da Argentina não foi além de 12º.

Os quatro pontos que somou sabem a pouco, principalmente quando se compara com o ritmo que está a ser apresentado por Zarco, Rins e Lowes neste Campeonato. Partiu de segundo para a corrida, mas num despique com Zarco no início teve de alargar a linha e perdeu várias posições.

É claro que isso é algo que pode acontecer a qualquer um, mas já as quedas de pré-época e os erros deste início de campanha já começam a pesar – junte-se a isso o facto de estar a 36 pontos do líder ao cabo de três corridas.

A corrida de Rabat foi azarada, mas o mesmo se passou com o piloto que o superou na linha de meta. Salom impôs-se ao homem da Marc VDS, mas é um claro contraste com o que se verificou no ano passado, em que estes mesmos dois pilotos subiram ao pódio neste traçado e agora vêem-se relegados para fora dos dez primeiros.

Além de muitas outras coisas, o motivo pode estar no ritmo super rápido das corridas deste ano em comparação com as do ano passado.

Tags:
Moto2, 2015, GRAN PREMIO RED BULL DE LA REPÚBLICA ARGENTINA, RAC, Sam Lowes, Alex Rins, Johann Zarco

Outras actualizações que o podem interessar ›