Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Lorenzo de regresso a posições cimeiras em Jerez

Lorenzo de regresso a posições cimeiras em Jerez

O espanhol da Movistar Yamaha MotoGP dominou o primeiro dia do Grande Prémio bwin de Espanha, em Jerez, liderando as duas sessões.

Depois de um arranque de época bem aquém do que é habitual e do que se esperava por parte de Jorge Lorenzo, o espanhol está a responder muito bem ao regresso do pelotão do MotoGP™ à Europa e parece estar a voltar a posições que lhe são bem mais habituais.

Lorenzo começou o dia ao ataque em Jerez para liderar a sessão matinal com um registo de 1:39.000s, uma marca que, no final, se revelou o bastante para garantir, pela primeira vez este ano, não apenas a presença nos três primeiros da tabela de tempos combinados do primeiro dia, mas a liderança.

Enquanto isso, Aleix Espargaró voltou a apresentar-se em muito bom plano e depois de ter surpreendido tudo e todos na Argentina, tanto nos livres como na qualificação (onde foi segundo), o espanhol voltou a colocar a GSX-RR do Team Suzuki Ecstar de novo nos lugares cimeiros das tabelas de tempos. É certo que Espargaró, tal como Lorenzo, não melhorou durante a tarde, mas o registo matinal que apresentou foi impressionante e o único a conseguir fazer alguma frente ao bi-Campeão do Mundo da Yamaha ao terminar a apenas 0,049s de distância da P1.

Atrás dos dois espanhóis “voadores” ficaram três nomes que já fizeram primeiras páginas este ano e uma surpresa.

O bi-Campeão do Mundo Marc Márquez está a rodar com fractura no mindinho esquerdo, lesão contraída em acidente de treino no sábado passado, mas apesar das dores parece não se estar a deixar afectar pelo problema. É certo que de manhã apresentou uma prestação bem modesta, com uma oitava posição a mais de sete décimos de Lorenzo, mas de tarde deixou claro que está em Jerez para colocar a defesa do título de novo no bom caminho após a queda da Argentina. O piloto da Repsol Honda esteve forte na sessão vespertina e assinou a segunda melhor marca com 1:39,428s, o bastante para garantir o terceiro posto da grelha provisória e assegurar um Top 3 composto por três marcas diferentes.

Já a dupla italiana Andrea & Andrea reforçou o que parece ser já uma certeza esta época: o ressurgimento da Ducati com a nova GP15. Dovizioso, o mais regular da época até ao momento com três segundos lugares em igual número de provas, foi o mais forte da Ducati Team ao garantir o quarto posto da geral praticamente na roda da Suzuki de Espargaró. O italiano, que ocupar a segunda posição da geral a seis pontos de Rossi, ficou a apenas 83 centésimos da primeira linha provisória da grelha.

Contudo, Dovi parece que vai ter forte oposição do compatriota e colega de equipa. Iannone, que começou o ano com um pódio e depois assinou mais dois resultados entre os cinco primeiros, não deu tréguas a Dovizioso e terminou a meros 24 milésimos de segundo de distância, em quarto.

Mas estes parecem não ser os dois únicos argumentos da marca de Borgo Panigale em Jerez, já que Danilo Petrucci se destacou ao levar a máquina da Pramac Ducati à sexta posição. Um duelo a três entre as Ducati pelas melhores posições da grelha neste sábado? Quem sabe.

O que é certo neste primeiro dia é que, com as boas prestações da marca italiana e com ritmo apresentado pela Suzuki, quem parece estar com dificuldades são, precisamente, a Honda e Yamaha. Tirando Márquez e Lorenzo, ambas as marcas terminaram este primeiro dia com fraco resultado geral.

A segunda melhor Honda é a de Cal Crutchlow, que depois do pódio na Argentina não conseguiu melhor que o sétimo posto na tabela de tempos combinados, enquanto a marca dos três diapasões só volta a aparecer nos oitavo e nono lugares. Pol Espargaró, da Monster Yamaha Tech3, acabou mesmo por se impor ao líder da geral Valentino Rossi, se bem que pela mais escassa das margens: 1 milésimo de segundo!

A fechar o Top 10 deste primeiro dia surge o estreante Isaac Viñales. O espanhol da Suzuki está a levar a cabo boa temporada de estreia na categoria rainha e não se pode dizer que seja um estranho nos dez primeiros depois dos resultados apresentados nas corridas já disputadas, pelo que é bem possível que amanhã o vejamos a passar directamente para a Q2.

Ainda assim, nada está, de todo, garantido. Com os 15 primeiros separados por menos de um segundo apenas uma coisa é certa: a luta pela entrada directa na Qualificação 2 do MotoGP™ promete ser muito renhida, ainda para mais quando Héctor Barberá (Avintia Racing), Scott Redding (Estrella Galicia 0,0 Marc VDS), os pilotos da Athinà Forward Racing, Stefan Bradl e Loris Baz, e Eugene Laverty (Aspar MotoGP Team), os 11º a 15º classificados de hoje respectivamente, estão a dois décimos de segundo do tão almejado 10º lugar dos treinos livres. Duelos para seguir atentamente na FP3 deste sábado e depois também nas importantes Q1 e Q2.

Veja os resultados combinados do MotoGP™ desta sexta-feira em Jerez.

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMIO bwin DE ESPAÑA, FP2, Jorge Lorenzo, Marc Marquez

Outras actualizações que o podem interessar ›