Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Luthi regressa às vitórias seis meses depois

Luthi regressa às vitórias seis meses depois

A visita da Moto2™ a Le Mans acabou com o suíço a regressar ao mais alto do pódio seis meses após o último triunfo em Valência.

Tom Luthi tem sido um pouco inconstante no Campeonato do Mundo, mas este domingo em Le Mans esteve brilhante. Depois de se ter qualificado em sexto na grelha, o piloto da Derendinger Racing Interwetten fez uso de toda a sua experiência no circuito Bugatti para levar a corrida de vencida, a quarta no traçado e a 10ª da carreira.

Luthi entrou logo ao ataque para terminar a primeira volta em terceiro e subir mais uma posição na seguinte. Não satisfeito, e depois de esperar um pouco, o suíço assumiu a liderança na quinta volta para não mais a perder até final e cruzar a linha de meta com uns confortáveis 1,767s de margem sobre o Campeão do Mundo Tito Rabat.

O espanhol da Estrella Galicia 0,0 Marc VDS pode não ter tido bom início de defesa do título este ano, mas parece ter voltado ao seu melhor. Depois de ter sido terceiro em Jerez, Rabat melhorou a prestação para terminar na segunda posição e, assim, garantir o segundo pódio consecutivo do ano. Um resultado importante e que o ajuda a colocar no bom caminho a luta pelo título.

Mais atrás, a 3,760s da frente, acabou por terminar o piloto da casa Johann Zarco. O gaulês da Ajo Motorsport tem sido um dos protagonistas da época até ao momento e, apesar de não ter conseguido tirar o melhor partido da liderança inicial, acabou por terminar no pódio pela quarta vez este ano, o que o deixa com 21 pontos de margem sobre, precisamente, Luthi na liderança da classificação geral.

Enquanto isso, Sam Lowes refez a mão após o nulo de Jerez. O piloto da Speed Up Racing começou a época forte, principalmente nos treinos, mas não tem sido regular nas corridas e depois do 20º lugar de Jerez foi quarto este domingo em Le Mans. Uma prestação aquém do esperado por parte do britânico que se tinha qualificado em segundo no sábado e que já não sobe ao pódio desde a Argentina.

Por oposição, Franco Morbidelli deu continuidade a uma impressionante regularidade. Após a sexta posição no GP de Espanha há duas semanas, o homem da Italtrans Racing Team foi quinto, tal como no Qatar, Austin e Argentina, isto depois de ter partido de 12º e acabou por fazer com que o Top 5 fosse composto por cinco nacionalidades diferentes.

Já Julian Simon conquistou o melhor resultado da época. O espanhol a QMMF Racing Team foi sexto, ganhando três posições face à partida, mas ainda tem de melhorar o ritmo se quiser lutar pelo pódio e pela vitória com os mais rápidos.

Com Takaaki Nakagami (Idemistu Honda Team Asia), Xavier Simeon (Federal Oil Gresini Moto2), Hafizh Syahrin (Petronas Raceline Malaysia) e Dominique Aegerter (Technomag Racing Interwetten) a completarem o Top 10, a surpresa foram as quedas de Luis Salom a duas voltas do final e pouco tempo depois do colega de equipa na Páginas Amarillas HP 40, Alex Rins, também ter ido ao chão quando lutavam pelos cinco primeiros. Contudo, Rins logrou voltar à corrida para terminar em 17º.

Mika Kallio (Italtrans Racing Team), Jonas Folger (AGR Team), o piloto da casa Louis Rossi (Tasca Racing Scuderia Moto2) e o estreante Alex Márquez (Estrella Galicia 0,0 Marc VDS) também sofreram quedas e desistiram.

Tags:
Moto2, 2015, MONSTER ENERGY GRAND PRIX DE FRANCE, RAC, Thomas Luthi, Johann Zarco, Tito Rabat, Ajo Motorsport, EG 0,0 Marc VDS, Derendinger Racing Interwetten

Outras actualizações que o podem interessar ›