Compra de bilhetes
VideoPass purchase

A esperança italiana com a chegada da Moto3™ a Mugello

A esperança italiana com a chegada da Moto3™ a Mugello

Fenati, Bastianini e Bagnaia preencheram o pódio de Le Mans com a bandeira italiana, numa antecipação perfeita para a ronda caseira.

Mugello e Romano Fenati têm uma longa e agradável relação. Em 2012, o italiano terminou na segunda posição, depois de ter feito a volta de Warm Up e se ter sentado na linha de partida com os braços cruzados, numa postura desafiante que entusiasmou os fans por todo o mundo. Em 2014, Fenati vez ainda melhor e venceu o Grande Prémio de Itália, com o piloto da SKY VR46 evidentemente entusiasmado com a plateia italiana.
A sua vitória em Le Mans foi a primeira da KTM na temporada de 2015, depois do fabricante australiano ter sido afectado pela ausência em testes de pré-temporada. A confiança do italiano aumentou ainda mais após o teste privado em Almeria, no fim da ronda francesa. Os companheiros na KTM Brad Binder e Miguel Oliveira tiveram dificuldades em Le Mans depois das difíceis condições da qualificação e têm de dar provas em Itália.
Enea Bastianini ficou com a segunda posição, partindo do 18º posto da grelha, numa situação semelhante à que ocorreu na primeira corrida da temporada, no Qatar, onde chegou também ao pódio. No ano passado, o piloto da Gresini passou por algo do mesmo género em Mugello, onde chegou a lutar pela liderança depois de partir em 16º na grelha. Na altura, Jack Miller e Alex Marquez acabaram por o ultrapassar quando lutavam no grupo da frente. Um bom resultado na qualificação por parte de Bastianini deverá evitar qualquer tipo de percalço este ano.
Depois de terminar em Mugello fora do Top 3, pela primeira vez em 2015, Danny Kent está pronto para regressar ao pódio e manter-se na luta pelo campeonato de Moto3™. O britânico tem agora 104 pontos, mais 37 do que os seus principais adversários no campeonato Quartararo e Vazquez, que não conseguiram terminar a corrida em França. 
O estreante Quartararo nunca correu em Mugello, embora já tenha demonstrado que consegue correr rápido e não tem dificuldades nas novas pistas. Tanto em Jerez, como em Le Mans, o francês mostrou que é ainda um rookie, mas que a ambição está lá.
A Mahindra e Francesco Bagnaia conseguiram mostrar o seu potencial e garantiram o primeiro pódio de 2015, bem como o primeiro da carreira do italiano. A combinação Mahindra-Bagnaia está a funcionar bem, com o italiano a conseguir frequentemente lutar na frente, algo que não pode fazer o ano passado na KTM.
Mas, não são apenas os pilotos italianos que vão em busca de bons resultados em Mugello, com Alexis Masbou e John McPhee desesperados por regressar ao Top 5. Masbou venceu no Qatar, enquanto McPhee ficou em quinto, mas ainda não foram capazes de repetir os resultados, lutando com a afinação das motos.
Mugello já foi palco de muitas lutas emocionantes, especialmente em Moto3™. A corrida de 2014 viu os três primeiros ficarem separados por apenas 0,011 segundos, a margem mais curta de sempre em pódios de Grande Prémio.
A acção da Moto3™ do Grande Prémio de Itália TIM começa com os primeiros treinos livres na sexta-feira, às 09:00 locais.

 

Tags:
Moto3, 2015, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM

Outras actualizações que o podem interessar ›