Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Ducati domina sexta-feira do #ItalianGP

Ducati domina sexta-feira do #ItalianGP

Mugello foi Ducati neste primeiro dia do Grande Prémio TIM de Itália, com Dovizioso a terminar no topo em ambas as sessões.

Seja qual for a tabela de resultados para que se olhe neste primeiro dia do Grande Prémio TIM de Itália uma coisa salta aos olhos: a Ducati está a revelar-se dona e senhora do traçado de Mugello!

Melhor tempo da manhã e da tarde, pela mão do oficial Andrea Dovizioso, e consequente liderança da tabela de tempos combinados do dia; melhor velocidade média e melhor velocidade de ponta, neste caso pela mão do espanhol Héctor Barberá (Avintia Racing) e dois melhores parciais em quatro possíveis no traçado, uma vez mais pela mão de Dovizioso!

A marca italiana já tinha dado grandes mostras de competitividade esta época, nomeadamente com cinco pódios nas cinco primeiras corridas, dois deles na jornada de abertura da temporada no Qatar, e agora volta a estar em destaque ao tirar também excelente partido do teste que levou a cabo no circuito italiano ainda antes da ronda de Le Mans.

Os rivais Honda e Yamaha ainda deram ar da sua graça, principalmente durante a tarde, com Valentino Rossi, Jorge Lorenzo e Marc Márquez a passarem todos pela liderança da tabela de tempos, mas no final nada, nem ninguém conseguiu travar Dovizioso que rodou em 1:47,479s, menos quatro décimos que de manhã, para terminar o dia na frente do pelotão com 0,164s de vantagem sobre o Campeão do Mundo da Repsol Honda, Márquez.

O espanhol, que de manhã praticamente não se viu (só Cal Crutchlow da CWM LCR Honda deu ares da graça da Honda ao passar momentaneamente pela liderança), melhorou o andamento durante a tarde para superar Lorenzo, da Movistar Yamaha, por pouco mais de dois décimos, mas tanto um, como outro, têm muito trabalho pela frente se quiserem travar os homens da casa. Ainda para mais porque também eles deverão fazer de tudo para melhorar até à importante qualificação de sábado.

E estamos só a falar de tempos, porque se falarmos de velocidade, então o trabalho antevê-se ainda maior, já que Barberá atingiu uns estonteantes 350,1 km/h, praticamente mais cinco que Dani Pedrosa, que ficou a 3 km/h de Dovizioso. 

Enquanto isso, Andrea Iannone reforçou a boa prestação da Ducati Team com a quarta marca do dia. Ainda ressentido da lesão no ombro (foi-lhe detectada pequena fractura no topo do úmero já nesta semana), o transalpino nem por isso deixou os créditos por mãos alheias e está a menos de um décimo de Lorenzo. Margem curta que deixa antever muito emoção ao longo dos próximos dois dias.

Quem surpreendeu pela positiva nesta sexta-feira foi Bradley Smith. O britânico da Monster Yamaha Tech3 não só foi o melhor piloto satélite, levando de vencida o embate directo com Crutchlow, que terminou a 0,086s do compatriota em sexto, como também superou Rossi por mais de um décimo.

O “Sr. Mugello” parece ainda não se ter encontrado com a pista talismã e terminou a jornada de trabalho num modesto nono lugar, a sete décimos da frente, e atrás de Aleix Espargaró. O homem do Team Suzuki Ecstar, que só há dois dias recebeu luz verde para alinhar na prova na sequência de lesão contraída na mão direita, voltou a colocar a GSX-RR nos dez primeiros, isto enquanto Scott Redding, da Estrella Gailia 0,0 Marc VDS, também logrou superar o multi Campeão do Mundo.

A fechar a lista dos primeiros terminou Pol Espargaró, da Monster Yamaha Tech3, a oito décimos da frente num dia onde Dani Pedrosa, da Repsol Honda, não foi além de 14º e foi o último a rodar a menos de um segundo da frente.

Veja os resultados combinados do MotoGP™.

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM, FP2, Jorge Lorenzo, Marc Marquez, Andrea Dovizioso, Ducati Team, Repsol Honda Team, Movistar Yamaha MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›