Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Oliveira faz tocar a Portuguesa em Mugello

Oliveira faz tocar a Portuguesa em Mugello

Nunca antes se tinha ouvido o Hino Nacional numa jornada do Campeonato do Mundo. Miguel Oliveira fez história com vitória na Moto3™.

No Mundial a tempo inteiro desde 2011, Miguel Oliveira fez história neste domingo no circuito de Mugello ao tornar-se no primeiro piloto português a vencer um Grande Prémio do Campeonato do Mundo de MotoGP™. Há muito que o jovem da Red Bull KTM Ajo dava mostras de ter o potencial necessário para subir ao mais alto do pódio, mas nem sempre teve a sorte do seu lado, mas hoje esteve perfeito e levou de vencida a corrida de Moto3™ do Grande Prémio de Itália TIM de forma perfeita.

O fim‑de‑semana até nem começou da melhor forma e foi marcado por altos e baixos em termos de resultados nos treinos livres e qualificação, com o luso a partir da 11ª posição da grelha, e com um início de corrida complicado. Mas tudo isso fez apenas com que este primeiro triunfo de Oliveira fosse ainda mais brilhante.

Uma partida modesta levou a que Oliveira efectuasse as primeiras oito voltas no meio do pelotão, chegando mesmo a rodar em 14º, mas tudo mudou à nona passagem pela meta. Vindo então do nono lugar na volta anterior, o português disparou para a frente da corrida e por aí se manteve até final por entre muita pressão dos rivais.

Antes do final, a seis voltas da bandeira de xadrez, Miguel ainda viu Romano Fenati passar para frente, mas não tardou a responder e na volta seguinte regressava ao primeiro posto, posição que manteve até ao cair do pano, isto apesar de na última volta ainda ter rodado em quarto por alguns momentos.

Contudo, o ritmo de Oliveira era muito forte e assim que recuperou a liderança sensivelmente a meio da última volta não houve mais quem o conseguisse impedir de assinar a primeira vitória da carreira e, com isso, fazer tocar a Portuguesa pela primeira vez numa ronda do Mundial de MotoGP™.

Enquanto isso, atrás do luso, o líder do Campeonato Danny Kent era quem se destacava. O britânico da Leopard Racing só nos início rodou na frente do pelotão e chegou mesmo a ocupar a 10ª posição, poupando energias e pneus para o ataque ao mais alto do pódio no final da corrida, mas acabou por ter de se contentar com o segundo posto a 0,071s de Oliveira. Um que resultado que, mesmo assim, lhe permitiu aumentar a vantagem no topo da classificação geral.

Já Romano Fenati terminou a prova com amargo de boca. A rodar em casa, o piloto da SKY Racing Team VR46 foi o primeiro líder da corrida e o único a conseguir impor-se a Miguel Oliveira assim que o português passou para a frente, mas no final não teve argumentos para repetir o triunfo de há duas semanas em Le Mans e ficou-se pela terceira posição.

Atrás dele ficaram três italianos, todos eles a terem também lutado pela glória em casa, mas sem sucesso. Peco Bagnaia (Mapfre Team Mahindra) foi quarto, com Enea Bastianini (Gresini Racing Team Moto3) e Niccolò Antonelli (Ongetta-Rivacold) a terminarem nas quinta e sexta posições, respectivamente, e a 0,381s da frente.

Bem mais longe terminou Jorge Navarro. O espanhol da Estrella Galicia 0,0 ficou a 1,4s de Oliveira, com Isaac Viñales (Husqvarna Factory Laglisse), Alexis Masbou (Saxoprint RTG) e o colega de equipa de Miguel Oliveira, Brad Binder, a completarem o Top 10.

Em termos de Mundial, Danny Kent soma agora 124 pontos, mais 56 que Enea Bastianini, em segundo, enquanto Romano Fenati é terceiro com 67 pontos seguido agora de Miguel Oliveira com 66.

Tags:
Moto3, 2015, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM, RAC, Danny Kent, Romano Fenati, Miguel Oliveira, SKY Racing Team VR46, Red Bull KTM Ajo, Leopard Racing

Outras actualizações que o podem interessar ›