Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Lorenzo no topo das suas capacidades

Lorenzo no topo das suas capacidades

Foi o famoso rapper americano Jay-Z que uma vez cantou sobre ter 99 problemas. O pelotão do MotoGP™ tem apenas um, o número 99…

Com 19 anos de experiência a escrever sobre MotoGP™ para a Motorcycle News, Matthew Birt conhece o campeonato por dentro e por fora. Ele junta-se à equipa do motogp.com em 2015 para lhe trazer notícias exclusivas e opinião desde o paddock.

Foi o famoso rapper americano Jay-Z que uma vez cantou sobre ter 99 problemas.

O pelotão do MotoGP™ tem apenas um, o número 99.

A impressionante prestação de Jorge Lorenzo em Itália levou à terceira vitória e a ocupar a segunda posição da geral a apenas seis pontos do colega de equipa na Movistar Yamaha, Valentino Rossi.

Nem mesmo Lorenzo podia ter imaginado, quando deixou Argentina como deixou após o quarto resultado consecutivo fora do pódio, que estaria prestes a iniciar um grande momento de forma.

Mugello foi mais uma demonstração perfeita das capacidades de Lorenzo no pico da forma.

Sem comprometer, e de forma agressiva, na primeira volta, ele chegou à liderança o mais depressa possível e depois impôs ritmo muito forte para se isolar do pelotão.

Chegou a ser um segundo mais rápido que grupo perseguidor nas primeiras voltas. E ao cabo de pouco mais de um terço da corrida já não era possível tê-lo na mesma imagem da câmara em conjunto que os que seguiam atrás de si.

Falei com o Kevin Schwantz para uma futura entrevista depois da corrida e ele resumiu a prestação de Lorenzo dizendo: “Estes tipos contra os quais ele corre não são parvos. São os melhores do mundo e a forma como o está a fazer (a rodar um segundo mais rápido) é mesmo impressionante.”

Nas últimas três corridas ele passou a meta em primeiro em cada uma das 78 voltas e a Yamaha conta agora com cinco triunfos em seis corridas, o que é mais que o total de triunfos conseguidos pela marca nipónica ao longo das 18 jornadas da época passada.

Nas últimas 12 corridas a Yamaha venceu nove, e dos 18 lugares no pódio disponíveis até ao momento em 2015 Lorenzo e Rossi conquistaram metade.

A contribuição da Yamaha para o recente domínio de Lorenzo também não pode ser descurada.

A introdução da transmissão totalmente seamless, que incluiu a redução de caixa nesta época, tornou a YZR-M1 muito mais estável à entrada em curva e permite a Lorenzo travar até dez metros mais tarde.

As melhorias conseguidas pela Yamaha jogaram a favor dos pontos fortes de Lorenzo. Ele já era tão suave em travagem que a sua técnica tinha sido baptizada de “manteiga”.

Ao ser capaz de travar tão tarde com uma moto mais estável, Lorenzo é mais rápido à entrada em curva e depois consegue curvar com mais velocidade, o que é sempre importante.

A abundância de curvas rápidas em segunda e terceira velocidades em Mugello foram uma dádiva para o estilo de pilotagem de Lorenzo e ele tirou o máximo partido disso.

O modus operandi de Lorenzo não é do agrado de todos.

As suas vitórias não tiveram drama e emoções ao rubro, como os recentes triunfos de Rossi no Qatar e Argentina.

Mas só podemos admirar o seu talento e capacidades. Quando é rápido parece lento, roda com a YZR-M1 com tal subtileza que parece ir a 100 Km/h quando vai 200.

Nas últimas três corridas ele fez todas as voltas na perfeição e deixou os rivais a pensarem como o poderão travar.

Com o Campeonato a ir para Barcelona na próxima semana, a batalha entre Lorenzo e Rossi pelo título deste ano evoca memórias da épica batalha de 2009 na Catalunha.

Há seis anos Rossi levou a melhor após um dos mais emocionantes duelos de que há memória, com ultrapassagem ousada na última curva e ser demais para Lorenzo, que pensava que tinha a corrida ganhar.

Rossi pode necessitar de mais uma prestação inspirada para impedir Lorenzo de conquistar o quarto triunfo consecutivo pela primeira vez na carreira.

Venha ela!

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMIO D'ITALIA TIM, RAC, Jorge Lorenzo, Movistar Yamaha MotoGP

Outras actualizações que o podem interessar ›