Compra de bilhetes
VideoPass purchase

Suzuki surpreende tudo e todos ao terminar 1º dia na frente

Suzuki surpreende tudo e todos ao terminar 1º dia na frente

Aleix Espargaró voltou a fazer brilhar a GSX-RR do Team Suzuki Ecstar ao terminar primeiro dia de acção na frente da tabela de tempos.

As melhorias das condições climatéricas durante a tarde no Circuito Barcelona-Catalunha trouxeram consigo quedas nos tempos apresentados pelos pilotos de MotoGP™ durante a FP2 do Grande Prémio Monster Energy da Catalunha e algumas surpresas.

Um desfecho que primeiro dia de acção que se poderá revelar determinante dadas as previsões mistas para o estado do tempo de sábado, o que significa que o Top 10 desta sexta-feira pode muito bem ser a lista dos dez pilotos com entrada directa para a importante Q2.

Se à chegada à sétima ronda do ano todos falavam do domínio da Yamaha, com Lorenzo em busca da quarta vitória consecutiva e Rossi a ser o único com o pleno de pódios até ao momento; da brilhante época que a Ducati está a levar a cabo, com os dois Andreas, Dovizioso e Iannone, a levarem a marca já a vários resultados nos três primeiros; e da necessidade da Repsol Honda responder aos rivais e de Marc Márquez ter imperativamente de encontrar algo para recolocar a defesa do ceptro no bom caminho, a verdade é que todos se esqueceram de uma coisa… Da Suzuki e de Aleix Espargaró!

O espanhol, que já por várias vezes este ano se imiscuiu entre os mais rápidos, cedo mostrou ao que vinha. Depois de ter sido terceiro de manhã, atrás da dupla da Repsol Honda Márquez e Pedrosa, o piloto do Team Suzuki Ecstar impôs-se durante a tarde. A correr à porta de casa, Espargaró tirou bom partido não só dos pneus mais macios como também das melhorias que a marca nipónica introduziu na GSX-RR para ficar a apenas 0,3s do recorde do traçado estabelecido por Dovizioso em 2014 ao rodar em 1:42,183s e, assim, deixar toda a concorrência a olhar.

Enquanto isso, Marc Márquez e Dani Pedrosa mantinham bom andamento aos comandos das RC213V da Repsol Honda. O Campeão do Mundo, que tinha sido o melhor da manhã, concluiu o trabalho na segunda posição, a 0,285s da frente e com pouco mais de três décimos de segundo de vantagem sobre o colega de equipa Dani Pedrosa.

Se por um lado Márquez parece ter encontrado o que lhe faltava para voltar a rodar na frente e pode muito bem estar a dar os primeiros passos para a segunda vitória da época, já Pedrosa parece finalmente ter recuperado da operação ao síndroma compartimental a que foi submetido após o Qatar e que o arredou das pistas durante três jornadas. 

Quem também teve dia positivo foi Andrea Dovizioso. Após a desilusão do problema mecânico que obrigou ao abandono em casa há duas semanas, o piloto da Ducati Team voltou a apresentar-se em muito bom plano nesta sexta-feira. Modesto durante a manhã com um nono tempo, o italiano aumentou o andamento para terminar a tarde e o dia na quarta posição e a apenas 0,034s do Top 3.

Já o estreante Maverick Viñales reforçou a boa prestação do colega de equipa e depois de ter sido quinto de manhã, repetiu a prestação de tarde. O espanhol da Suzuki não deu tréguas e acabou por se colocar entre os dois pilotos de fábrica da Ducati ao superar Iannone, terceiro classificado na corrida de Mugello, por 0,016s, isto depois do italiano ter recuperado da 11ª posição da manhã.

Já Jorge Lorenzo ficou aquém do esperado. O espanhol da Movistar Yamaha ainda logrou a quarta marca, mas a verdade é que o vencedor das últimas três corridas parece ainda não se ter encontrado com a pista de Montmeló e não conseguiu melhor que o sétimo lugar a 0,876s de Aleix Espargaró.

Enquanto isso, Cal Crutchlow voltou a levar a melhor na luta entre os pilotos Satélite. O britânico da CWM LCR Honda foi oitavo, à frente de Pol Espargaró (Monster Yamaha Tech3) e do compatriota Scott Redding, da Estrella Galicia 0,0 Marc VDS, este último a sofrer queda pelo caminho, mas a sair ileso do contratempo. Tal como Alex de Angelis, que terminou o dia em 24º aos comandos da ART da E-Motion IodaRacing Team.

À porta dos dez primeiros ficou Valentino Rossi. O líder do Campeonato do Mundo voltou a ter um mau primeiro dia de trabalho e, atendendo às previsões climatéricas mistas para sábado, pode muito bem estar perante mais uma árdua corrida de trás para a frente caso não consiga garantir a passagem à Q2.

Veja os resultados combinados do MotoGP™.

Tags:
MotoGP, 2015, GRAN PREMI MONSTER ENERGY DE CATALUNYA, FP2, Monster Yamaha Tech 3, Team SUZUKI ECSTAR

Outras actualizações que o podem interessar ›